Cidadeverde.com
Economia

Delegado explica como não ser vítima do 'golpe da Receita Federal'

Imprimir

Criminosos continuam utilizando o nome da Receita Federal para aplicar golpes em pessoas. Os bandidos geralmente usam como iscas os serviços de pagamento de restituição de impostos, débito de pendência ou solicitação de atualização do CPF.

O delegado da Receita Federal, André Santos, explica que o fraudador envia um link falso onde rouba os dados do contribuinte.

“O fraudador encaminha uma carta para o contribuinte, onde ele oferece um link e esse link direciona para uma página falsa, que não é a página da Receita Federal oficial e a partir dessa página o contribuinte passa a fornecer uma série de dados sigilosos fiscais ou bancários que o fraudador irá utilizar esses dados para aplicar o golpe”, esclarece o delegado.

Apesar de ser um golpe antigo, muitos contribuintes ainda caem na ação desses criminosos. André Santos informa que através do site oficial gov.br/receitafederal, as pessoas podem verificar sua situação em relação ao órgão federal.

“Nessa página, que é a página oficial da Receita Federal, existem dois menus fundamentais, um é o ‘meu CPF’ e o outro é o ‘meu Imposto de Renda’. No menu CPF o contribuinte vai ter acesso a sua situação cadastral em relação ao CPF, e no menu Imposto de Renda o contribuinte vai ter acesso a uma série de informações em relação a sua declaração de imposto de renda”, explica André Santos.

Quando verificada a fraude, a Receita Federal encaminha a ocorrência para a Polícia iniciar as investigações. O criminoso que aplicar esse tipo golpe, pode responder contra a administração pública e estelionato com pena de até dez anos de prisão mais a aplicação de multa.  

 

 

Rebeca Lima
[email protected]

Imprimir