Cidadeverde.com
Geral

HGV encerra atividades de UTIs Covid e prioriza cirurgias de pacientes eletivos

Imprimir

Foto: HGV

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) encerrou, nessa terça-feira (31), atividade da Unidade Terapia Intensiva (UTI) para tratamento da Covid-19. Em um ano e seis meses, o HGV internou 1.548 pacientes, a maioria em leitos de UTI.

Segundo o diretor-geral, Osvaldo Mendes, a redução de casos e o avanço da vacinação possibilitaram a diminuição de internações graves no Piauí, o que permite o fechamento das UTIs Covid e retorno de outras atividades interrompidas durante a pandemia. Para o gestor, o sentimento é de felicidade. “É com grande alegria que comunicamos à sociedade o fechamento da última Unidade de Terapia Intensiva para o tratamento da Covid aqui no HGV. Com o avanço da vacinação, houve uma diminuição expressiva do número de internações e pudemos fechar as UTIs Covid. Chegamos a ter 70 leitos e tratamos quase 1.600 pacientes. Com isso, podemos retornar às nossas atividades, às quais o HGV tem perfil para tratar e realizar a todo vapor: as cirurgias, pois temos uma fila grande de espera no ambulatório”, explica.

O diretor também expressou sua gratidão aos servidores que trabalharam com afinco no período crítico da quarentena. “Eu queria agradecer a todos os profissionais que se dedicaram e pedir à sociedade que continue adotando as medidas de proteção para que não volte ocorrer outro pico”, fala, emocionado, Osvaldo Mendes.

O coordenador das UTIs do HGV, Caubi Medeiros, comenta que a sensação é de missão cumprida. “O HGV desempenha um papel importante na saúde pública do Estado e, em um momento histórico como numa situação de pandemia, com tantos pacientes críticos, conseguiu dar resposta rápida e eficiente à ampla demanda de leitos de UTI. Sinto orgulho de ter feito parte de uma equipe tão competente”, destaca o médico.

A gerente de enfermagem, Olivia Leal, também elogiou os profissionais que participaram dessa luta contra o coronavírus. “Ontem, às 18 horas, o HGV fechou a sétima UTI Covid e dou os parabéns a todos os profissionais que participaram dessa luta. A palavra, hoje, é somente ‘gratidão’”, destacou a enfermeira.

O presidente da Fepiserh, órgão que administra o HGV, Ítalo Rodrigues, destaca a atuação do HGV no tratamento da Covid-19. “O HGV tornou-se referência no tratamento de uma doença que pegou toda a comunidade científica e médica de surpresa. Durante toda a pandemia, atendeu um grande fluxo de pacientes com qualidade, salvando muitas vidas. Agora, com a queda do número de casos, a UTI Covid-19 fecha para que pacientes com outras enfermidades sejam atendidos”, destaca Ítalo.

Da Redação
[email protected]

Tags: HGVcovid-19
Imprimir