Cidadeverde.com
Política

Elmano Férrer anuncia que mineradora solicitou autorização para concluir trecho da Transnordestina

Imprimir

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

O senador Elmano Férrer (PP/PI) informa que a empresa Planalto Piauí Participações, que já atua na exploração de jazidas de minérios no estado, assinou requerimento solicitando autorização para assumir as obras do trecho da Ferrovia Transnordestina, entre Curral Novo/PI e o Porto de Suape/PE. A formalização do pedido ocorreu nesta quinta, durante solenidade no Palácio do Planalto, envolvendo a concessão de 10 ferrovias. O presidente Bolsonaro e os ministros Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) e Ciro Nogueira (Casa Civil) participaram do evento.

Segundo Elmano Férrer, este ramal da Transnordestina, com 717 quilômetros de extensão, vai fazer uma conexão das jazidas de minério do Piauí com o porto pernambucano. “O pedido para a conclusão deste trecho da ferrovia é uma grande notícia para o estado do Piauí. O projeto deve receber R$ 5,7 bilhões em investimentos, gerando centenas de empregos já na fase de construção. E, após a conclusão desta ligação com o Porto de Suape, vamos abrir um novo horizonte para o desenvolvimento do nosso estado”, avalia Elmano Férrer.

O parlamentar diz que os detalhes do projeto serão divulgados nos próximos dias. Mas ele destaca que o empreendimento foi incluído no programa de autorizações que o governo federal está lançando, junto com a Medida Provisória 1065/21, que institui o Marco Legal das Ferrovias. “É uma medida que favorece a retomada de obras em várias ferrovias, incluindo a Transnordestina”, observa o senador.

O projeto que beneficia o nosso estado se mostra muito promissor para a empresa Planalto Piauí Participações porque o trecho da Transnordestina entre Curral Novo e o Porto de Suape é 92 quilômetros mais curto do que o ramal da ferrovia para o Ceará. Na prática, isso representa uma economia substancial ao longo dos 30 anos da concessão, que vai priorizar a exportação, principalmente de minérios do estado. “Estas obras vão gerar riqueza para os piauienses”, prevê Elmano Férrer.

[email protected]

Imprimir