Cidadeverde.com
Política

"Bolsonaro foi um erro", diz Eduardo Leite em entrevista à TV Cidade Verde

Imprimir

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, que disputa as prévias do PSDB para ser o nome do partido nas eleições presidenciais de 2022, disse em entrevista à TV Cidade Verde nesta sexta-feira (3) que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi um erro para o Brasil. Segundo ele, que manifestou voto no presidente em 2018, o momento é de criar uma alternativa para não só evitar a reeleição de Bolsonaro, como a volta do PT ao Palácio do Planalto. 

“Tenho clareza de que foi um erro como a maior parte da população também tem essa consciência. Agora é importante voltar a 2018 e lembrar do momento que a gente estava vivenciando. Meu candidato era Geraldo Alckmin. Foi o candidato que eu apoiei. Não apoiei Bolsonaro, não fiz campanha junto com ele. Não associei meu nome ao nome de Bolsonaro e não pedi votos para Bolsonaro. Eu manifestei meu voto nele”, afirmou.

“Do outro lado a gente tinha o PT com um modelo que tinha gerado 14 milhões de desempregados e com problemas morais, éticos. A volta do PT ao poder também não era boa”.

Apesar das críticas ao PT, Eduardo Leite disse que não há como se comparar Bolsonaro a Lula pelo seu comportamento antidemocrático. “A gente tem uma polarização e uma guerra nesses extremos. É claro que não dá para comparar o comportamento antidemocrático do presidente Bolsonaro ao Lula. Eu não acho que o Lula não seja um democrata, mas ele está na raiz desse problema. Mesmo assim, acho que foi um erro Bolsonaro por conta do que se está vendo aí. Nunca pensei que pudesse ser tão ruim quanto está sendo. Aprofundando divisões. É um erro que precisa corrigido. Estou disposto a fazer minha parte para corrigir”, declarou.

Foto: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini

Leite culpa Lula pela política do “nós contra eles” que terminou dando forças ao surgimento de Bolsonaro.

“O Lula sempre fez uma campanha do nós contra eles, ricos contra pobres. Tentou fazer crer que o Brasil começou com ele, que tudo que de bom acontecia no Brasil foi graças a ele e tudo de ruim por conta de outras pessoas. Isso foi alimentando e criando um ambiente de onde sai Bolsonaro. Bolsonaro emerge desse ambiente criado por Lula politicamente. São duas faces de uma mesma moeda. A gente precisa encerrar esse capítulo”, acredita.

Prévias
Candidato das prévias preferido no ninho tucano piauiense, Eduardo Leite disse que espera retribuir o apoio dos colegas de partido do Piauí. “Eu recebo com muita alegria e com o senso de responsabilidade. O PSDB do Piauí e especialmente a partir de Teresina, demonstrou a sua competência, sua qualidade, no trabalho do Silvio e do Firmino, que nós lamentamos muito a perda. Eu busco está à altura das expectativas para poder nessas prévias vencer, ter a indicação e levar o PSDB a apresentar uma alternativa para o Brasil que rompa com essa polarização inútil e que tira a energia nessa tentativa de destruição de um lado e de outro. A gente tem que construir o futuro do Brasil e não ficar lutando contra o passado”, finalizou.

Foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini

Além de Leite, disputam as prévias João Dória (governador de São Paulo) e Arthur Virgilio (ex-senador pelo Amazonas). Tasso Jereissati (senador pelo Ceará), que também colocou nome à disposição, já anunciou que deve apoiar o governador Eduardo Leite, que espera ser uma disputa interna transparente.

“Eu espero que as prévias aconteçam de forma limpa, transparente, com uma discussão de qual candidatura pode melhor representar o partido. Não é sobre atender um projeto pessoal, é sobre a responsabilidade que a gente tem com o Brasil e viabilizar uma candidatura. Os momentos políticos que se vivenciaram nos últimos anos não foram fáceis para o Brasil. Gerou dificuldades e para o PSDB também. A gente entende isso e até por isso acredito que possa dar uma colaboração”, afirma Leite.

Entenda as prévias do PSDB
As prévias vão acontecer no dia 21 de novembro. Caso tenha 2º turno, a votação será realizada em 28 de novembro. A escolha será por votação eletrônica em evento realizado em Brasília.

Podem votar todos aqueles que tenham se filiado ao PSDB até 31 de maio de 2021 e que tenha feito o cadastro no sistema eleitoral eletrônico oferecido pelo partido como forma de autenticação para votação.

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir