Cidadeverde.com
Esporte

Santos anuncia Fábio Carille, ex-Corinthians, como novo técnico do time

Imprimir

O Santos acertou nesta quarta-feira (8) a contratação do técnico Fábio Carille, 47. Ele substituirá Fernando Diniz, que deixou o cargo no último domingo (5), um dia depois da derrota por 2 a 1 da equipe para o Cuiabá, em confronto válido pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Foto - Divulgação - Santos

Carille chegou ao Brasil no fim da tarde já com a negociação encaminhada entre o clube e o seu empresário, Paulo Pitombeira. O fato de ter topado se adequar a atual política financeira do Santos, além de ceder pela não inclusão de uma multa contratual, facilitou as negociações.

O acordo é válido até dezembro de 2022.

A decisão pelo nome do novo treinador foi tomada em reunião do Comitê Gestor do clube ainda na segunda (6). A escolha não foi unânime, mas dirigentes santistas entendem que Carille era a principal opção momentânea com base nos títulos conquistados pelo Corinthians.

Os cartolas tinham pressa por um substituto pelo atual momento vivido pelo clube: seis partidas consecutivas sem vencer e a 13ª colocação na competição nacional, apenas a quatro pontos da zona de rebaixamento.

Além disso, o time também pode ser eliminado nas quartas de final da Copa do Brasil. Na primeira partida, perdeu por 1 a 0 para o Atlhetico-PR, em Curitiba. O jogo decisivo será no próximo dia 14, na Vila Belmiro.

A estreia de Carille deve acontecer já no próximo sábado (11), quando a equipe recebe o Bahia, pela 20ª rodada da competição nacional.

Antes do anúncio, nomes como os de Dorival Júnior e Guto Ferreira, cotados por torcedores, foram descartados pelos dirigentes santistas. O foco, desde o início, ficou centralizado entre Rogério Ceni e Carille.

O Santos entrou em contato com os representantes de ambos os treinadores para saber se teriam interesse em dirigir o clube no atual momento e, principalmente, para entender a pedida de cada um.

Ídolo são-paulino, a opção por Ceni poderia resultar em rejeição de parte da torcida.

Apesar de ter conquistado quatro títulos com o Fortaleza, além do Brasileiro, o Campeonato Carioca e a Supertaça do Brasil com o Flamengo, encontrou resistência de flamenguistas durante o período em que esteve no Rio de Janeiro  Carille retorna ao país após 19 meses.

Ele tem passagem vitoriosa pelo Corinthians, onde conquistou o Brasileiro de 2017 e o tricampeonato paulista, entre 2017 e 2019, mas foi demitido em sua última passagem, em novembro de 2019, bastante criticado, após uma derrota por 4 a 1 para o Flamengo, no Maracanã.

Na Arábia, foi demitido no último dia 22 de agosto do Al-Ittihad. A decisão foi polêmica e envolveu um mal-estar entre o antigo clube e o treinador após a contratação de um jogador.

O clube árabe tinha encaminhado acordo com um atacante estrangeiro que ainda não contava com a aprovação de Carille. A chegada do jogador influenciaria diretamente na saída de um dos estrangeiros da atual equipe.

Perguntado em entrevista, ele disse que ainda não era hora de discutir o assunto. O desencontro causou um enorme incômodo. Carille estava concentrado para a decisão da Copa Árabe dos Clubes Campeões, contra o Raja Casablanca, do Marrocos. 

O Ittihad empatou por 4 a 4 no tempo normal, mas perdeu na decisão por pênaltis. O torneio envolve clubes de dois continentes.

Apesar de não ter conquistado títulos no período, ele deixou o clube invicto em clássicos locais. Foram dez jogos, com cinco vitórias e cinco empates. No retrospecto geral, foram 21 vitórias, 16 empates e dez derrotas.

Entre os principais feitos, salvou o Ittihad do rebaixamento na primeira temporada, fez a melhor campanha na liga local desde 2016 e recolocou o time na Liga dos Campeões da Ásia.

Carille será o terceiro treinador do Santos na atual temporada, mas o quarto somente em 2021. Até o fim do Brasileiro, o clube contava com Cuca, vice-campeão da Libertadores. 

Depois da saída de Cuca, apostou na contratação do argentino Ariel Holan. Mesmo com um contrato de três anos, a passagem de Holan pelo clube durou apenas 63 dias, findada em 26 de abril.

Posteriormente, anunciou Diniz. O treinador, contratado em maio, durou somente 27 jogos, com 10 vitórias, sete empates e 10 derrotas.

Fonte: Folhapress

Imprimir