Cidadeverde.com
Geral

“Estrutura sobrecarregada”, alerta coronel sobre incêndios no Piauí

Imprimir

 

Ao comentar os incêndios que atingem várias regiões do Piauí atualmente, o tenente coronel José Veloso, relações públicas do Corpo de Bombeiros, confirmou que a estrutura da corporação está sobrecarregada. 

Atualmente, as equipes se revezam em várias frentes de combate, principalmente na divisa do Piauí com o Ceará e na região de São Raimundo Nonato, próximo ao Parque Nacional da Serra da Capivara. Além disso, equipes também estão sendo deslocadas para Bom Jesus e Oeiras.

“Infelizmente é uma questão cultural. Infelizmente, é do momento, e as pessoas estão insistindo nessa prática da queimada que está sobrecarregando. A verdade é que essa estrutura é sobrecarregada nesse tempo. Esse momento é o que o pico se eleva”, destacou. 

Apesar da sobrecarga, o coronel ressalta que a integração de forças ajuda a minimizar os danos ocasionados pelo fogo. 

“É um trabalho de ação de várias mãos, não é só Corpo de Bombeiros. Temos a defesa civil dos municípios, voluntários, e até o exército brasileiro, por vezes, nos dá apoio quando a gente tem essa sobrecarga. É uma estrutura que se mobiliza e se aciona para fazer uma integração de órgãos para atender esse tipo de operação”, destacou. 

Foto: Prefeitura de São Raimundo Nonato 

Só nos primeiros sete dias do mês de setembro, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) registrou 674 focos de incêndios em 85 cidades do estado. É o quinto maior índice do país, ficando atrás apenas do Acre (998), Mato Grosso (866), Minas Gerais (763) e Amazonas (716).

São Raimundo Nonato

Sobre o fogo em São Raimundo Nonato, o relações públicas do Corpo de Bombeiros informou que mais homens devem ser enviados ao local, para atuarem em conjunto com brigadistas e voluntários da região. O coronel destaca ainda as dificuldades do combate, principalmente pelo terreno. 

“A verdade é que o incêndio em vegetação tem complexidade diferente do incêndio urbano. Infelizmente a nossa ação, dos brigadistas, dos bombeiros, é o no sentido de fazer um aceiro para mitigar os danos desse incêndio. O combate a esse incêndio não vai acontecer, está fora de controle na verdade. Por vezes, a gente consegue fazer a extinção, mas não podemos prometer que isso vai acontecer”, explicou. 

 

 

 

Natanael Souza 
[email protected] 

Imprimir