Cidadeverde.com
Esporte

Na estreia de Carille, Santos fica apenas no empate sem gols com o Bahia

Imprimir

O técnico Fábio Carille percebeu logo em sua estreia que terá trabalho para melhorar o Santos para a sequência do Campeonato Brasileiro. Mesmo jogando em casa, o time ficou apenas no empate por 0 a 0 com o Bahia e chegou aos 23 pontos no torneio, um a mais que seu adversário. 

Foto: Bruno Queiroz/EC Bahia

Ambos estão fora da zona de rebaixamento, mas perto do América-MG, 17º colocado.

Logo de cara o Bahia já começou a dar trabalho e, se não fosse o goleiro João Paulo, teria aberto o placar em um chute de Lucas Mugni. Depois, teve uma outra oportunidade com Isnaldo, que junto com Rodallega incomodou bastante a zaga santista com sua movimentação ofensiva.

O Santos até tentava chegar ao ataque, mas quase não conseguia criar as jogadas. Marcos Guilherme, Lucas Braga e Pirani eram bem marcados e até por isso o centroavante Léo Baptistão recuava um pouco para tentar ajudar a iniciar as jogadas.

As melhores chances ocorriam nas jogadas de bola parada de Carlos Sánchez.

O Bahia era perigoso nos contra-ataques e ainda contava com a falta de iniciativa do Santos, que até tinha mais posse de bola, mas não sabia o que fazer com ela.

Inclusive os números do primeiro tempo reforçaram essa situação, com sete chutes a gol para o Bahia e nenhuma finalização para o Santos.

Depois de uma etapa ruim, o time da casa melhorou e passou a buscar o gol da vitória. Teve uma boa chance no início do segundo tempo com Carlos Sánchez e depois outra ótima com Marcos Guilherme, que de dentro da área mandou para fora. 

Vendo o time melhorar, Carille optou por colocar Marinho, que não tinha condições de atuar os 90 minutos e por isso começou no banco.

Com o Santos mais incisivo, o Bahia recuou e tratou de se proteger na defesa para evitar a derrota. Abriu mão do ataque, mesmo com algumas alterações, e passou a ver o empate como um bom negócio.

O time da casa insistiu, mas não conseguiu superar a defesa adversária e o jogo terminou sem gol.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir