Cidadeverde.com
Últimas

Cinco são presos por roubo de água na adutora Piaus deixando cidades sem abastecimento

Imprimir

Barreiro abastecido com água desviada (Fotos: Divulgação/Agespisa)


Operação da Polícia Ambiental e Agespisa prendeu cinco pessoas em flagrante suspeitos de furto de água da adutora de Piaus, no município de Fronteiras ( a 400 km de Teresina). A denúncia é que donos de chácaras e sítios fizeram ligações clandestinas, afetando a vazão da água, e comprometendo o abastecimento de moradores de cinco cidades. O desvio é para construção de açudes para criação de peixes, irrigação e bebedouros de gado. 

Na operação foram detectadas mais de 70km de desvio, com apreensão de mais de dois mil canos e mangueiras. Os furtos foram flagrados nas comunidades Tamboril, Camaratuba e Piaus. 

“Foram 13 desvios clandestinos detectados e que está afetando o abastecimento de água nas cidades de São Julião, Vila Nova, Campo Grande, Fronteiras e Pio IX”, informou gerente da Unidade de Negócios de Picos, Francisco das Chagas Ferreira Sobrinho.

Os detidos foram encaminhados às delegacias de Polícia das suas respectivas cidades, onde foi registrado Boletim de Ocorrência. Segundo a Agespisa, as pessoas presas devem responder por diversos crimes já que a água desviada estava sendo utilizada para abastecimento de tanques de peixes, bebedouros para animais, irrigação de capim e barreiros, dentre outras.

A adutora de Piaus abastece as cidades de São Julião, Campo Grande do Piauí, Vila Nova do Piauí, Fronteiras, Pio IX e povoado Mandacaru, estendendo-se por 111 quilômetros e produz aproximadamente 230 mil litros de água por segundo.  

A Agespisa informou ainda que com a retirada das ligações clandestinas, a expectativa é que o abastecimento de água tenha ganho de volume, principalmente nos municípios de Fronteiras, São Julião e Pio IX.

A empresa relatou também que o trabalho de combate ao roubo de água nas adutoras que cortam o semiárido piauiense tem sido feito com frequência e sempre com o apoio da Polícia.

"É um trabalho arriscado, mas essencial para melhorar o abastecimento de água. A operação continua até mesmo nos finais de semana", informa o gerente da Unidade de Negócios de Picos, Francisco das Chagas Ferreira Sobrinho.

 

 

 

Rebeca Lima e Yala Sena
[email protected]

Imprimir