Cidadeverde.com
Esporte

Flamengo refuta desconfiança e aposta em desempenho nos mata-matas por final

Imprimir

O empate por 1 a 1 contra o América-MG no domingo (26) encorpou os questionamentos ao Flamengo por seu desempenho no Campeonato Brasileiro, mas o clube tenta minimizar o tema enquanto se prepara para seu jogo mais importante do ano até aqui.

Foto - @mcortesdasilva8/ CRF

Em vias de carimbar uma vaga na final da Copa Libertadores, o Flamengo precisa repetir nesta quarta-feira (29) contra o Barcelona (EQU), às 21h30, no estádio Monumental Isidro Romero Carbo, justamente as boas performances que tem apresentado em torneios de mata-mata sob o comando de Renato Gaúcho.

Na Libertadores, o time rubro-negro venceu os cinco jogos que disputou com o treinador à beira do gramado. 

Nestas partidas, a equipe de Renato marcou nada menos que 16 gols e foi vazada apenas 3 vezes, contra Defensa y Justicia (ARG) e Olimpia (PAR) -não tomou mais que um gol em partida alguma, marca que precisará manter agora em Guayaquil para avançar no torneio, já que venceu o jogo de ida por 2 a 0.

Os números na Copa do Brasil com Renato também fortalecem a tese de que o Flamengo pode relevar o desempenho no Brasileiro às vésperas da Libertadores, já que tem sido impecável nos mata-matas. Em quatro compromissos com o técnico, todos com vitória, os cariocas marcaram 13 gols e não sofreram um sequer.

"Não vamos deixar qualquer competição de lado. O Flamengo está disputando três competições dificílimas e montou um plantel forte para disputá-las. 

Falo muito com o grupo para não pensarem na próxima partida, mas, indiretamente, todo mundo pensa nessa partida [contra o Barcelona]. Às vezes, você não tem a entrega total por causa disso", disse Renato após o empate com o América-MG, em que escalou um time alternativo.

Para a decisão em Guayaquil, a tendência é que o Flamengo tenha, enfim, sua força máxima para o confronto.

Após poupar peças em Belo Horizonte e priorizar a recuperação física de alguns atletas, Renato terá de volta reforços do calibre de Arrascaeta, Filipe Luís, Everton Ribeiro, David Luiz, Rodrigo Caio e Gabigol.

"As pessoas não sabem quem pode ou não jogar. Ficaram seis jogadores no Rio. Desses seis, não sei quantos não vão poder jogar na quarta", disse o técnico.

Em Guayaquil, o Flamengo terá a vantagem do empate e poderá ainda avançar com derrota por dois gols de diferença desde que também balance as redes. Caso o Barcelona devolva o placar do jogo de ida, a vaga na finalíssima da Libertadores será decidida nos pênaltis.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir