Cidadeverde.com
Esporte

Cruzeiro para no travessão, empata com Guarani e fica longe do acesso na Série B

Imprimir

O Cruzeiro chegou ao quarto jogo consecutivo sem vitória na Série B e praticamente deu adeus ao sonho de acesso. Nesta quarta-feira, empatou com o Guarani, por 1 a 1, no Brinco de Ouro, em Campinas, após acertar o travessão em três oportunidades. 

Foto: Thomaz Marostegan/ Guarani FC

Com o resultado, chegou aos 32 pontos, mais próximo da zona de rebaixamento do que de um possível retorno à elite do futebol nacional. Já o Guarani subiu para os 42, ainda na briga pelas primeiras posições.

O Guarani não sabe o que é vencer o Cruzeiro desde 17 de outubro de 2004, quando, sob comando de Jair Picerni, fez 2 a 0, no Brinco de Ouro, com gols de Roncato e Viola. De lá para cá, o time bugrino amargou quatro empates e duas derrotas.

Após a derrota para o CSA, Vanderlei Luxemburgo apostou em um ataque mais experiente para o duelo contra os campineiros. Marcelo Moreno foi o líder da equipe dentro de campo e o responsável pelas principais oportunidades de gol da equipe celeste. 

No entanto, as redes só foram balançadas por um defensor. Giovanni cobrou escanteio na cabeça de Ramon, que abriu o marcador aos 12 minutos.

O Guarani não se encolheu após o gol, foi em busca do empate e chegou a dominar o duelo, mas a sorte jogou contra. O arremate de Júlio César carimbou o travessão.

Mateus Ludke também teve grande chance, porém, jogou para fora. Quando o clube bugrino acertou o alvo, Fábio apareceu para brilhar.

Com o passar do tempo, o Guarani começou a mostrar nervosismo e errar lances teoricamente fáceis, bem semelhante ao segundo tempo do Cruzeiro contra o CSA, no qual o time celeste sofreu um 'apagão'.

No entanto, esta fase durou apenas alguns minutos, e o time mineiro acabou não aproveitando as chances criadas.

O Cruzeiro voltou a cometer os mesmos erros do passado no segundo tempo e viu o Guarani empatar logo aos quatro minutos. Principal destaque do time campineiro na etapa inicial, Matheus Ludke enfim conseguiu marcar.

Bruno Sávio passou por Rômulo e cruzou para o lateral, que dominou na barriga e chutou para superar Fábio.

O jogo ficou aberto, com bons lances de ambos os lados. O Cruzeiro chegou a marcar o segundo, com Bruno José, mas o árbitro acabou anulando a jogada, após confirmação do VAR.

A decisão foi um balde de água fria no time celeste, e Fábio começou a brilhar, com importantes defesas, o que fez Luxemburgo mexer na equipe e promover a estreia de Keké.

O VAR, porém, foi pivô de polêmica na reta final. Ao analisar um impedimento que poderia virar expulsão de Bruno Silva, o árbitro de vídeo demorou mais de quatro minutos para confirmar o impedimento marcado pelo assistente.

No entanto, o Cruzeiro, apesar de jogar os minutos finais com um homem a mais - Bidu levou o vermelho - não conseguiu evitar o empate e teve as melhores oportunidades com Ramon, que cabeceou no travessão, e na falta de Eduardo Brock, que também acertou o poste.

Na próxima rodada, o Guarani visita o Brusque, sábado, às 16h. No domingo, às 11h, o Cruzeiro recebe o Brasil, na Arena Independência, em Belo Horizonte.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir