Cidadeverde.com
Economia

Mais de 869 mil contribuintes caíram na malha fina do IR; veja como sair

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidadeverde.com

Um total de 869.302 contribuintes caíram na malha fina do Imposto de Renda 2021, segundo informou a Receita Federal nesta quinta-feira (30). Dentre as declarações com pendências, 666.647 têm direito a restituição (76,7% do total), 181.992 têm imposto a pagar (20,9%) e 20.663 estão com saldo zero (2,4%).

Mais uma vez a omissão de rendimentos do titular ou dos dependentes é o motivo que mais leva as declarações a caírem na malha fina, com 41,4% dos casos. Na sequência estão as deduções, principalmente as por despesas médicas, que não têm limite na declaração do IR e reduzem o imposto a pagar ou aumentam a restituição. Veja dez situações que deixam o aposentado do INSS na malha fina.

A Receita paga nesta quinta-feira (30) o último lote de restituições do IR para 358 mil contribuintes. Veja aqui se você entrou neste lote. Quem tinha restituição e não entrou até o quinto lote caiu na malha fina.

Veja os principais motivos:
41,4%: omissão de rendimentos sujeitos ao ajuste anual (de titulares e dependentes declarados)
30,9%: deduções da base de cálculo (despesas médicas são o principal motivo)
20%: divergências no valor do imposto retido na fonte entre o que consta na declaração enviada pela fonte pagadora (Dirf) e o que foi declarado pela pessoa física
7,7%: deduções do imposto devido, recebimento de rendimentos acumulados (como atrasados do INSS, por exemplo), e divergência de informação sobre pagamento de Carnê-leão e/ ou imposto complementar

O que fazer se não recebeu a restituição:

Quem enviou a declaração e não entrou em nenhum dos lotes deve consultar o extrato de sua declaração para verificar quais pendências foram identificadas pela Receita Federal. A consulta ao Extrato do Processamento da DIRPF é feita pelo site da Receita, em "Meu Imposto de Renda".

Quem tem imposto a pagar também pode estar com a declaração travada, por isso é importante verificar o extrato para confirmar se a declaração foi processada ou se há pendências.
Se houver pendências o contribuinte tem as seguintes opções, segundo a Receita:

Corrigir a declaração apresentada, sem qualquer multa ou penalidade. Será preciso corrigir os erros e enviar uma declaração retificadora. Essa correção não será possível depois que o contribuinte for intimado ou notificado;

Aguardar comunicado da Receita Federal para apresentar documentação que explique a pendência apresentada no extrato;

Apresentar, de forma virtual, todos os comprovantes e documentos que atestam os valores declarados e apontados como pendência no extrato. É necessário verificar as orientações do Extrato do Processamento da DIRPF e formalizar um Processo Digital para a Malha Fiscal por meio do Portal e-CAC. Para informações sobre esse processo, consultar "Malha Fiscal - Atendimento", a partir do espaço "Onde Encontro". A apresentação dos documentos é de responsabilidade do contribuinte, que poderá ainda assim ser intimado ou receber uma notificação de lançamento da Receita Federal.

A declaração retificadora pode ser enviada por meio do programa onde o contribuinte preencheu a declaração original ou dentro do "Meu Imposto de Renda", no campo "Preencher Declaração Online". Após clicar em "2021", vá em "Retificar Declaração". Se optar pelo envio por meio do programa, é preciso atualizá-lo, corrigir a informação incorreta e informar que se trata de uma retificadora, na tela de identificação do contribuinte.

Entre março e setembro de 2021, a Receita recebeu 36.868.780 declarações do IR 2021, referentes aos rendimentos de 2020. As quase 870 mil declarações que caíram na malha fina representam 2,4% do total, segundo o órgão.

Quinto lote do IR

A Receita liberou R$ 562 milhões no quinto lote do IR. Desse total, R$ 200 milhões são para contribuintes que têm prioridade no pagamento, sendo 4.955 idosos acima de 80 anos, 47.465 entre 60 e 79 anos, 4.927 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e 19.211 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Outros 281.604 são contribuintes não prioritários que entregaram a declaração até o dia 15 de setembro. A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá requerê-la pela internet, mediante o "Formulário Eletrônico - Pedido de Pagamento de Restituição", ou diretamente no Portal e-CAC, no serviço Meu Imposto de Renda.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do BB ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Fonte: Folhapress 

Imprimir