Cidadeverde.com
Entretenimento

Luisa Mell pede prisão provisória do ex-marido pela Lei Maria da Penha

Imprimir

Foto: Greg Salibian/Folhapress

 A equipe jurídica de Luisa Mell, 42, protocolou nesta segunda-feira (11) um pedido de prisão provisória contra o ex-marido dela, o empresário Gilberto Zaborowsky, 59. Trata-se de um recurso em caráter de urgência feito à Vara Central da Violência Doméstica Contra a Mulher, do Tribunal de Justiça de São Paulo, com base na Lei Maria da Penha.

Segundo o pedido do advogado Ângelo Carbone, as medidas protetivas adotadas até o momento não atenuaram a situação da apresentadora e ativista da causa animal, que fez um boletim de ocorrência contra o ex-marido no final de setembro. No depoimento à polícia, ela disse ser vítima de relacionamento abusivo.

Procurado pelo F5, Zaborowsky não se manifestou até a última atualização deste texto. Recentemente, ele disse à reportagem que se defenderia em juízo, após tomar conhecimento das acusações feitas pela ex-mulher. Ele disse só ter tomado conhecimento delas por meio da imprensa.

De acordo com o pedido protocolado nesta segunda, o empresário continuaria a fazer ameaças à integridade física de Luisa por meio de telefonemas sem identificação. Os advogados dela afirmam temer até mesmo que ele chegue a matá-la.

O documento também diz que houve ameaças de "sumir do Brasil" com o filho do casal, de 6 anos. O advogado afirma que Luisa está "apavorada", "chora o dia inteiro", teme sair de casa e não consegue dormir.

De acordo com a Lei Maria da Penha, medidas protetivas de urgência podem ser concedidas pelo juiz a pedido da vítima. Entre elas, estão a proibição de aproximação ou contato com a ofendida por qualquer meio de comunicação.

Essas medidas já haviam sido deferidas anteriormente pelo juiz no caso de Luisa. Descumprir a decisão judicial, nesse caso, pode gerar uma pena de três meses a dois anos de detenção.

De acordo com Ângelo Carbone, advogado da apresentadora, porém, o pedido de urgência é para que Gilberto seja detido para interrogação e averiguação de seu local de residência atual (que é desconhecido desde que os dois se separaram). É sugerido que, se ele for liberado depois, seja com tornozeleira eletrônica.

Leo Franco / AgNews

RELEMBRE O CASO
Luisa Mell anunciou em julho que estava se separando de Gilberto Zaborowsky, com quem ficou casada por dez anos. Os dois seguem em processo de divórcio.

Nas redes sociais, no último sábado (9), a apresentadora disse ter sido vítima de um relacionamento "abusivo e violento". "Muitas vezes, pensava em sair de casa, mas ia ficando", contou. "Questionava se não era eu a louca, como ele sempre afirmava quando eu tentava resistir aos abusos, se tudo aquilo realmente acontecia."

Ela também acusou o ex-marido de perseguição. "Agora que criei coragem de sair, de denunciar e falar sobre o assunto, estou sendo vítima de uma verdadeira organização criminosa financiada pelo meu ex-marido para destruir a minha reputação", afirmou.
No final de setembro, a apresentadora fez um boletim de ocorrência, pedindo medidas de proteção em caráter de urgência, com base na Lei Maria da Penha. No depoimento à polícia, ao qual o F5 teve acesso, ela diz ser vítima de "tortura psicológica".

Segundo contou à polícia, o ex-marido estaria ligando e enviando mensagens, com xingamentos, ameaças de tirar a guarda do filho do casal e também de divulgar vídeos íntimos. Ele também teria invadido o celular de Luisa, de modo a acompanhar conversas que ela tem com outras pessoas.

Os advogados de Luisa estudam entrar ainda com uma ação criminal e outra indenizatória, tanto contra Gilberto Zaborowsky quanto contra o médico que operou a apresentadora sem o seu consentimento.

Em julho, ela aceitou realizar um procedimento com laser e disse que, quando acordou, descobriu que haviam realizado uma lipoaspiração nas axilas sem a sua autorização. De acordo com Ângelo Carbone, advogado de Luisa, a autorização veio do ex-marido, enquanto ela estava desacordada.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir