Cidadeverde.com
Esporte

Flu vence Athletico-PR de novo com gol contra e encerra jejum de vitórias

Imprimir

O Fluminense quebrou o jejum de gols e vitórias no Brasileirão e venceu o Athletico por 1 a 0 na Arena da Baixada, neste domingo (17). O gol, entretanto, foi contra, de Zé Ivaldo. Curiosamente, em 2020, o resultado foi o mesmo, também com um zagueiro marcando contra o próprio patrimônio.

Foto: Mailson Santana/FFC

Com a vitória, o Tricolor subiu para a oitava posição, com 36 pontos, e voltou à zona de classificação para a Libertadores, que dará nove vagas aos times brasileiros em 2022. O time de Marcão ultrapassou justamente o Furacão, agora o nono, com 34.

Jogando em casa, o Athletico fez valer o apelido de Furacão e foi para cima do Fluminense com muita intensidade. Veloz, a equipe de Alberto Valentim dominou as ações no início do jogo e assustou logo aos sete, com Bissoli, que chutou forte, cruzado, mas parou em Marcos Felipe.

Aos 18, Christian também tentou, e o goleiro do Flu defendeu novamente.

Com pouca posse de bola e inspiração, o Tricolor resistia aos avanços do Athletico mas não conseguia criar chances. Aos 29, André deu a primeira finalização da equipe de Marcão, mas Santos defendeu sem sustos.

Quatro minutos depois, o Flu abriu o placar e balançou as redes depois de três jogos sem fazer gol. Mas foi contra.

Samuel Xavier cruzou, Santos saiu mal e a bola bateu na nuca de Zé Ivaldo antes de morrer dentro das redes. Curiosamente, em 2020, na Arena da Baixada, o Furacão também fez gol contra na derrota por 1 a 0 para o Fluminense - Aguilar jogou contra o próprio patrimônio.

O Athletico não jogou bem no segundo tempo. Já no intervalo, Alberto Valentim trocou Richard por Márcio Azevedo e passou Pedrinho, que jogava mais aberto pela esquerda, para o meio. 

Depois, trocou Nico Hernández, que tinha amarelo, pelo meia Jaderson, desfez o esquema com três defensores e abriu mais a equipe. O time ficou bagunçado, o que não mudou com as entradas de Mingotti e Jader nas vagas de Carlos Eduardo e Bissoli. 

Em campo, até pela falta de entrosamento - já que já começou o jogo com reservas -, o Furacão não se entendeu e criou muito pouco.

Fonte: UOL-FOLHAPRESS

Imprimir