Cidadeverde.com
Últimas

Mulher de Alec Baldwin teme que ele desenvolva estresse pós-traumático

Imprimir

Foto: Honopix/Folhapress

Hilaria Baldwin, 37, mulher do ator Alec Baldwin, 63, teme que ele desenvolva transtorno de estresse pós-traumático após atirar acidentalmente e matar a diretora de fotografia Halyna Hutchins, 42, no set de filmagens do filme "Rust", no dia 21 de outubro. Ela revelou esse temor em entrevista exclusiva para o New York Post, neste sábado (30).

"Eu trouxe [Alec] para cá [Vermont] porque temos que lamentar a morte de Halyna", disse ela. "Alec teve uma coisa realmente traumática acontecendo, e estou tentando limitar o PTSD [transtorno de estresse pós-traumático]."

"Você olha o que acontece com soldados e policiais quando algo assim acontece, é traumático. Nós apenas viemos aqui para ficar quieto."
Questionada se Alex atuaria novamente, Hilaria estava esperançosa, mas não certa. "Ele precisa de espaço para eu cuidar dele e de sua saúde mental", disse ela. "Foi uma coisa horrível o que aconteceu. Alec se sente péssimo."

A família Baldwin está esperando os resultados da investigação do xerife do condado de Santa Fé sobre o incidente que matou Halyna e feriu o diretor Joel Souza, 48.

"Não haverá respostas até ouvirmos os resultados da investigação", disse ela. "Não sabemos o que aconteceu e temos as mesmas perguntas que todos. Queremos respostas mais rápidas do que ninguém. Temos que respeitar o processo das autoridades."

"Alec faz filmes com armas há 40 anos. Nunca aconteceu nada assim. Deve haver probabilidade zero de que isso aconteça."

Hilaria revelou ainda que quando soube que seu marido havia atirado e matado acidentalmente Halyna no set de "Rust" colocou seus seis filhos em seu carro e partiu sem um destino em mente.

"Eu não sabia para onde estava indo, apenas dirigi. Eu apenas dirigia e girava e girava com meus filhos", disse Hilaria. A família foi vista deixando sua casa em Greenwich Village no dia 22 de outubro, um dia após incidente no set do filme Hilaria contou que dirigiu por um dia inteiro em busca de algum lugar fora dos olhos do público, antes de se estabelecer na cidade de esqui Manchester, Vermont.

Ela disse que esperava ser capaz de proteger o marido do escrutínio em torno de seu envolvimento no tiroteio fatal acidental e queria manter seus filhos longe da mídia.
Neste sábado (30), Baldwin falou pela primeira vez com jornalistas sobre a tragédia, com Hilaria ao seu lado, em uma estrada em Vermont.

"Ela era minha amiga, ela era minha amiga", disse Baldwin. "Quando cheguei a Sante Fé para começar a filmar, levei-a para jantar", disse Baldwin aos repórteres enquanto estava parado na beira de uma estrada rural com a mulher Hilaria Baldwin, que filmava tudo com um celular.
"Éramos uma equipe muito, muito bem treinada, filmando juntos quando esse evento horrível aconteceu."

O ator falou que de vez em quando ocorrem acidentes em sets de filmagem, mas nada parecido com o que aconteceu no set de "Rust". "Este é um episódio em um trilhão, um evento em um trilhão", afirmou.

O ator destacou o esforço para limitar o uso de armas de fogo em sets de filmagens. "Eu sei o esforço contínuo para limitar o uso de armas de fogo em um set, é algo em que estou extremamente interessado", disse ele.

Baldwin acrescentou que está em contato constante com o viúvo de Halyna, Mathew Hutchins. O casal teve um filho de 9 anos. "Estamos muito preocupados" com a família dela, disse Baldwin, acrescentando que foi "ordenado" pelo gabinete do xerife de Santa Fé a não falar sobre o caso.

Em depoimento à polícia, o ator afirmou que apontando o revólver para uma câmera durante um ensaio no set de filmagem do filme "Rust" quando a arma disparou e atingiu a Halyna no peito.

Ele forneceu detalhes adicionais do disparo acidental que matou a diretora de fotografia e feriu o diretor Joel Souza. Baldwin havia recebido a arma cenográfica e tinha sido informado de que estava descarregada, disseram autoridades de Santa Fé em documentos judiciais.

"Joel afirmou que puseram Alec sentado em um banco de uma igreja cenográfica, e ele estava treinando um saque cruzado. Joel disse que estava olhando por cima do ombro de [Hutchins] quando ouviu o que pareceu um estalo e depois um estouro alto", informou a declaração.

"Joel depois se lembrou vagamente de [Hutchins] se queixando de dor no estômago e apertando o tronco. Joel também disse que [Hutchins] começou a tropeçar para trás e que foi ajudada a se deitar".

Hutchins disse que não conseguia sentir as pernas, disse Reid Russel, um operador de câmera que estava perto dela no momento do disparo, às autoridades.
Transtornado, Baldwin foi fotografado no dia 23 de outubro diante de um hotel de Santa Fé abraçando e conversando com Mathew Hutchins, marido de Halyna Hutchins, e o filho de 9 anos do casal.

ENTENDA O CASO

Um tiro disparado no set de filmagens do filme "Rust", estrelado por Alec Baldwin, deixou a diretora de fotografia Halyna Hutchins, 42, morta e o diretor Joel Souza, 48, ferido, no Bonanza Creek Ranch, em Santa Fé, Novo México, nos Estados Unidos, no dia 21 de outubro.

O próprio ator disparou a arma cenográfica, que deveria estar com festim, não com munição de verdade. "Estamos tentando determinar agora como e que tipo de projétil foi usado na arma de fogo", disse Juan Rios, porta-voz do Gabinete do Xerife do Condado de Santa Fé.

Baldwin foi interrogado e estava chorando, segundo o Santa Fe New Mexican, mas ninguém foi preso pelo acidente. Segundo apuração, a arma foi entregue ao ator pelo diretor assistente Dave Halls, que não sabia que ela tinha munição de verdade e confirmou isso no set gritando "arma fria".

Mas, segundo o sindicato de Hollywood, a arma continha munição real. "Uma munição verdadeira foi acidentalmente disparada no set pelo ator principal, atingindo a diretora de fotografia Halyna Hutchins, integrante da Local 600, e o diretor Joel Souza", disse uma filial local do sindicato IATSE (Aliança Internacional de Funcionários de Palco Teatral, na sigla em inglês).

Horas antes do disparo, um grupo de operadores de câmeras deixou o set de "Rust" em uma praia próxima à cidade de Santa Fé em protesto às condições de trabalho. Baixo orçamento, longas viagens e jornadas de trabalho foram algumas das reclamações, segundo o jornal Los Angeles Times.

Em suas redes sociais, Alec Baldwin falou sobre o choque e tristeza causados pelo acidente, e disse estar em contato com a família da colega. "Eu estou cooperando com a investigação policial para descobrir como essa tragédia aconteceu", escreveu.

 

Fonte: Folha Press

Imprimir