Cidadeverde.com
Últimas

Em nova portaria, Strans proíbe a venda de vale e passe estudantil em papel

Imprimir

Foto: Roberta Aline / Cidadeverde.com

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) baixou portaria, nesta segunda-feira (1º), proibindo a venda e comercialização de vale-transporte e passe estudantil em papel. 

Segundo a portaria, assinada pelo superintendente Cláudio Pessoa Lima, fica determinada a imediata suspensão de comercialização a partir da publicação da portaria. 

CONFIRA A PORTARIA

Atualmente, a venda e a comercialização de vale-transporte e passe estudantil em papel impresso é de responsabilidade do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Teresina (SETUT). 

A medida da Superintendência visa evitar irregularidades na venda e possível migração de passageiros do cartão eletrônico para o vale no papel, o que seria um retrocesso, de acordo com Strans.

A partir desta segunda (1º), fica permitido apenas a comercialização dos passes de forma eletrônica.

Com o decreto de calamidade pública, a prefeitura de Teresina está em processo de gerência da bilhetagem eletrônica e o vale no papel prejudica o monitoramento.

COLETIVOS ESTÃO PARADOS HÁ 5 DIAS

Os motoristas e cobradores do transporte coletivo em Teresina iniciaram na quinta-feira (28/10) greve por tempo indeterminado na cidade. A categoria reivindica assinatura da convenção coletiva de trabalho e a manutenção do salário dos profissionais. 

Na convenção coletiva, os trabalhadores defendem o salário no valor de R$ 2.039,00 para os motoristas e R$ 1.288,00 para os cobradores. Além disso, reivindicam também a volta do ticket alimentação, plano de saúde e a jornada de trabalho de 7h20.

Foto: Divulgação / Ascom Sintrapi

GREVE NOS ALTERNATIVOS 

Os veículos alternativos em Teresina estão parados desde o dia 21 de outubro, quando a Strans determinou o bloqueio do sistema de bilhetagem eletrônica dos veículos. O bloqueio aconteceu porque a Superintendência solicitou uma auditoria no sistema de bilhetagem por causa de supostas irregularidades no sistema.

Em entrevista ao portal Cidadeverde.com, o presidente do Sindicato dos Proprietários Autônomos de Transportes Alternativos de Passageiros do Estado do Piauí (SINTRAPI), Trajano Paulo, informou que o bloqueio aconteceu sem aviso prévio.

 

Nataniel Lima
[email protected]

Imprimir