Cidadeverde.com
Esporte

A importância da presença do Flamengo-PI no Campeonato Piauiense

Imprimir

O Esporte Clube Flamengo esteve seriamente ameaçado de não participar do Campeonato Piauiense de 2022. Por decisão da Justiça do Trabalho o rubro-negro parou todas as suas atividades e ficou impedido, inclusive,  de participar das competições de base do calendário oficial da Federação. 

Foto - Roberta Aline - Cidadeverde.com

Ex-jogadores cobram dívidas que teriam origem em temporadas passadas. No início desta semana o Presidente Rubens Gomes anunciou que, através de sua assessoria jurídica, havia conseguido um acordo sobre a reclamada dívida e que uma liminar havia liberado o clube para retornar às suas atividades. 

A expectativa é de que durante algum tempo tudo seja resolvido e o Esporte Clube Flamengo  retome o seu verdadeiro caminho dentro do nosso futebol.

A notícia foi muito bem recebida por todos. Quem conhece a história do Flamengo, o tamanho de sua torcida, as suas conquistas, pode avaliar a sua importância para o Campeonato Piauiense.

O Presidente Rubens Gomes, é claro, terá enormes dificuldades pela frente e para o êxito de suas ações, precisa de apoios de rubro-negros, de patrocínios,da presença da torcida nos seus jogos.

Formar um elenco de jogadores, uma comissão técnica, a partir do zero, é tarefa difícil. Daí a indispensável necessidade da colaboração de parceiros diversos.

Em 2021 o Flamengo até que realizou uma boa campanha, sob o comando técnico de Aníbal Lemos, mas todos os jogadores deixaram o clube. O trabalho de base também parou, com o rubro-negro fora das competições oficiais da FFP.

Particularmente gostei do esforço do Presidente Rubens Gomes para que o Campeonato de 2022 conte com a presença do Flamengo. E a luta vai além do Campeonato. 

Há muito o que fazer para salvar o rubro-negro da destruição a que foi levado por dirigentes que lá estiveram nos anos mais recentes. Se bem administrado, com responsabilidade, com competência e com honestidade, o Esporte Clube Flamengo seria uma potência no nosso futebol.

Dídimo de Castro
[email protected]

Imprimir