Cidadeverde.com
Últimas

Piauí avalia logística para vacinação de crianças de 5 a 11 anos

Imprimir

Após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar, nesta quarta-feira (16), o uso da vacina da Pfizer em crianças com idade entre 5 e 11 anos, a Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi) anunciou que já discute com sua equipe técnica a logística para o início da imunização deste público.

Além do debate interno, a pasta aguarda nota técnica do Ministério da Saúde quanto à vacinação desta nova faixa etária. "No momento em que recebermos este documento, vamos iniciar os trabalhos juntos aos municípios para que possamos vacinar esse público com a maior celeridade possível", destacou o secretário de Saúde, Florentino Neto.

Apesar disso, ainda não há previsão para o inicio da vacinação deste novo público, uma vez que o país não possui nenhum lote do imunizante liberado pela Anvisa. "Após a manifestação do Ministério da Saúde é que será possível saber o intervalo estabelecido e quando vai começar essa vacinação", explica a Coordenadora da Vacinação Covid-19, Bárbara Pinheiro. 

Mesmo já autorizada, o uso da Pfizer em crianças entre 5 e 11 anos requer algumas especificidades Para este segmento, a dose recomendada é de 1/3 em relação à fórmula já aprovada no país. A formulação pediátrica também é diferente daquela aprovada anteriormente para o público com mais de 12 anos e, portanto, não pode ser utilizada a formulação de adultos diluída.

Outro ponto que deve ser levado em conta é se, a criança completar 12 anos entre a primeira e a segunda dose, deve manter a dose pediátrica. Segundo a Agência, até que saiam mais estudos, é indicado um intervalo de 15 dias entre a vacina da Covid-19 e outros imunizantes do calendário infantil. 

A Anvisa também determinou que essa imunização de pessoas mais jovens só poderá ser iniciada após treinamento completo das equipes de saúde que farão a aplicação da vacina.

"Lembramos aos nossos municípios que só poderemos dá início a este processo após a capacitação dos profissionais que irão atuar nas salas de vacina e a chegada das vacinas para essa faixa etária", reforçou a coordenadora piauiense.

Da Redação
[email protected]

Imprimir