Cidadeverde.com
Esporte

Desafio para Ronaldo, Fábio já aceitou 'sacrifício' por Cruzeiro na Série B

Imprimir

No dia 12 de novembro o Cruzeiro anunciou mais uma renovação de contrato com o goleiro Fábio. Mas, em breve, o goleiro terá de negociar novamente com a direção cruzeirense. 

Depois do acordo feito no mês passado, 90% das ações da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) do Cruzeiro foram vendidas para Ronaldo. 

O ex-atacante estipulou um teto para a folha salarial e terá de fazer cortes e reajustes para atingir o valor estipulado. O que não é uma novidade para Fábio, que já passou por essa situação após o rebaixamento da Raposa.

Assim como aconteceu cerca de dois anos atrás, o goleiro se mostra aberto a renegociar com o Cruzeiro. De acordo com apuração do UOL Esporte, uma troca de clube não é algo que está nos planos de Fábio, que está na Toca da Raposa desde 2005. 

Aos 41 anos e bastante identificado com a camisa celeste, Fábio está perto de completar 1.000 jogos pelo Cruzeiro. No que pode ser a última temporada de sua carreira, o goleiro não quer que seja fora de Belo Horizonte.

Do lado da diretoria, a importância do jogador não é algo que escape, não só pelo fato de ser um dos maiores ídolos da história do clube. 

Mas também por ser o capitão do grupo, visto como liderança imprescindível para a disputa de mais uma Série B. Por isso, deve ter um tratamento especial por parte da equipe de Ronaldo.

Adaptar-se a uma nova realidade na Toca da Raposa é algo a que o veterano goleiro se acostumou, aliás. Em 2019, Fábio tinha o segundo maior contrato do Cruzeiro, atrás apenas do atacante Fred. 

O camisa 1 recebia mais de R$ 650 mil por mês. Mas, com o rebaixamento e a crise financeira vivida pelo clube, foi estipulado que R$ 150 mil seria o teto salarial.

A diretoria propôs uma repactuação salarial a todos os atletas com contrato em vigor. 

No caso de Fábio, que na época tinha vínculo até o fim de de 2020, ele passou a receber o valor estipulado, e a diferença foi dividida em várias parcelas, com o primeiro pagamento previsto para maio de 2021.

A expectativa era pelo acesso do Cruzeiro, o que não aconteceu, inviabilizando o acordo feito. Portanto, Fábio ainda tem esse valor pendente a receber do Cruzeiro. 

Um novo contrato foi assinado para 2021, e o salário do capitão do time ficou acima do teto estabelecido para 2020, mas muito abaixo do que ele recebia até 2019.

Como a renovação mais recente foi feita em cima do orçamento que previa uma folha salarial de R$ 4,5 milhões por mês, Fábio assinou por um valor considerado compatível pela importância dele e também dentro da realidade financeira do clube.

No entanto, com a mudança no comando, o Cruzeiro terá uma folha salarial na casa de R$ 1,5 milhão/mês -muitos jogadores vão ter de sentar e renegociar os valores. 

Não apenas Fábio, mas também alguns veteranos, como Rômulo e Marcelo Moreno, além de todos os reforços anunciados para 2022.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir