Cidadeverde.com
Últimas

COE definirá novas regras para a volta de 200 mil estudantes em aulas presenciais

Imprimir

Foto: Divulgação / Seduc-PI


No dia 7 de fevereiro de 2022 retornam às salas de aulas de forma presencial mais de 200 mil estudantes da rede pública estadual do Piauí, segundo estimativa da Secretaria Estadual de Educação do Piauí (Seduc-PI). 

Diante do surto gripal e novos casos de covid-19, o retorno das aulas presenciais acontecerá após novos protocolos definidos pelo Centro de Operações Emergenciais (COE) e a Seduc-PI. Eventualmente, alguma unidade escolar pode retornar de forma híbrida. O fator determinante será a situação da Covid-19 nas cidades.

“Nosso secretário já fez reunião com o secretário de Saúde. Vamos ter uma reunião com outros órgãos da educação para o COE tomar essa decisão. Mas nosso planejamento é para um retorno presencial a partir do dia 7 de fevereiro”, afirmou Maria José Mendes, diretora de Unidade de Ensino e Aprendizagem da Seduc-PI.

Até o momento, 180 mil matrículas foram efetivadas na rede estadual do Piauí. "A gente está no processo de matrícula. Sabemos que o caminho é esse: atingir mais de duzentos mil alunos", completou a diretora Maria José. 

Protocolos 

O COE e os órgãos da educação no Piauí irão analisar nas próximas semanas o cenário e a situação do número de casos e mortes por Covid-19 onde há uma unidade de educação estadual. Dependendo da situação, será autorizado o retorno presencial. 

Em outubro, a Sesapi-PI publicou uma nota técnica com orientações sobre a retomada das aulas presenciais em todos os níveis de educação da rede pública e privada no Piauí. 

Entre as medidas que deverão ser cumpridas pelas escolas: 

  • Professores e demais trabalhadores devem estar com duas doses ou dose única contra a Covid-19
  • A transmissibilidade do vírus deve estar abaixo de 1
  • A ocupação de leitos na rede hospitalar deve ser inferior a 50% 
  • Manter distanciamento de 1,5 metros 
  • Uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI)

A reunião entre a Educação e o COE deve defirnir quais serão as novas regras adotadas para que esse retorno aconteça de forma segura. 

 

Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir