Cidadeverde.com
Cidades

Operação DHPP: ex-prefeito de Madeiro paga fiança de R$ 72 mil e é solto

Imprimir

Fotos enviadas ao Cidadeverde.com


O ex-prefeito de Madeiro, José Cassimiro de Araújo Neto, o Zé Neto, pagou fiança no valor de R$ 72 mil (60 salários mínimos) e foi solto ao meio-dia de hoje. 

Zé Neto foi preso durante busca e apreensão em sua residência na cidade de Madeiro (a 244 km de Teresina) quando equipes do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) cumpriram 10 mandados de busca. A operação foi comandada pelo delegado Bruno Ursulino. Em Madeiro, o delegado cumpriu mandado na residência de três irmãos de Zé Neto e na casa do irmão do atual gestor. 

A prisão em flagrante de Zé Neto ocorreu devido os policiais encontrarem três armas de fogo (calibres 12/44 e 38) na residência do ex-prefeito durante as buscas. Aparelhos celulares também foram apreendidos. 

A operação se deve ao inquérito que investiga a morte do prefeito de Madeiro, José Ribamar de Araújo Filho, 42 anos, o Zé Filho (Progressistas), que foi assassinado no dia 28 de novembro com três tiros quando saia de uma partida de futebol na cidade.

O advogado de Zé Neto, Acelino Júnior, confirmou que a fiança foi paga e que o ex-prefeito é inocente.

O ex-prefeito Zé Neto (blusa branca) e o advogado Acelino Júnior

 

“O ex-prefeito já teve a casa invadida, seu caseiro foi agredido e levaram vários pertences do ex-prefeito. As armas pertencem ao pai dele e estavam sem documentação, mas esclarecemos para o delegado. Ele prestou todas as informações e se colocou de prontidão para qualquer dúvida”, disse o advogado.

Acelino Júnior ressaltou que por questões políticas tentam incriminar o ex-prefeito. “Ele está solícito para qualquer necessidade da polícia, existem questão políticas no caso, até porque já existe um réu confesso no assassinado do prefeito”, ressaltou o advogado se referindo a Felipe Anderson Seixas de Araújo, sobrinho do prefeito morto, que foi preso como autor dos disparos. 

 

Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir