Cidadeverde.com
Geral

Duas igrejas católicas são furtadas em Teresina e padre lamenta: "um atentado à fé"

Imprimir

Fotos enviadas pelo padre

Duas igrejas católicas de Teresina foram foram invadidas por criminosos na madrugada do último domingo (24) e tiveram diversos equipamentos furtados. Na Capela Santa Isabel de Hungria, localizada no bairro Piçarreira, zona Leste de Teresina, os bandidos roubaram todo o equipamento de som avaliado em cerca de R$ 2,8 mil, já recuperado pela polícia, produtos alimentícios que seriam doados e itens religiosos.

Responsável pelo templo, o padre Demerval Brasil relatou ao Cidadeverde.com que os ladrões também arrombaram uma das portas do prédio e levaram o sacrário da igreja, objetivo onde ficavam guardadas as hóstias consagradas e os cálices usados durante a celebração da eucaristia. 

O sacerdote ressalta o valor simbólico que a peça tem para a comunidade cristã ao lamentar o ocorrido. “É uma blasfêmia, um atentado à fé muito grave, além de um constrangimento para os fiéis da nossa igreja, pois é que há de mais precioso no templo catolivco é o santíssimo, onde fica o corpo de Cristo”, enfatizou.

Uma ação semelhante aconteceu no mesmo dia na Igreja do Cristo Rei, localizada na zona Sul da capital, onde criminosos furtaram parte da fiação elétrica do local, algo em torno de 30 metros. De acordo com o padre Gilberto Freitas, que mora ao lado do templo, as missas daquele dia tiveram que ser celebradas no escuro.

“Os bandidos adentram nossa igreja pelos fundos, onde existe uma kit net, arrebentaram grade e chegaram ao transformador e cortaram os fios. Ficamos sem energia e tivemos que celebrar duas missas no escuro, sem som e sem ar condicionado. Foi uma situação muito difícil e tivemos que adaptar a celebração”, contou o pároco. 

O líder religioso também revelou à reportagem que criminosos já haviam tentado invadir o templo no começo do ano, mas sem sucesso. Com os reparos na rede elétrica já encaminhados, o sacerdote afirma que a igreja agora vai investir em um sistema de segurança para o local, como cerca elétrica e câmeras de vigilância. 

 

Breno Moreno
[email protected]

Imprimir