Cidadeverde.com
Últimas

Sete cidades do Piauí ainda não registraram vacina infantil; São Raimundo supera 91%

Imprimir

Foto: Arquivo Cidadeverde.com

Sete municípios do Piauí ainda não registraram doses da vacina contra a covid-19 em crianças de 5 a 11 anos. De acordo com o vacinômetro da Secretaria de Saúde do Estado (Sesapi), estão com doses zeradas as cidades de Aroeiras do Itaim, Boqueirão do Piauí, Flores do Piauí, Floresta do Piauí, Morro Cabeça no Tempo, Palmeira do Piauí e Porto Alegre do Piauí.

Até o momento, de acordo com a Sesapi, o Piauí vacinou 29,15% desse público, totalizando 96.606 doses aplicadas. O estado pretende vacinar 331.432 pessoas de 5 a 11 anos.

No Brasil dois imunizantes estão sendo usados para a o público infantil. A Pfizer pediátrica, que pode ser aplicada em crianças de 05 a 11 anos, inclusive naquelas imunossuprimidas, com o intervalo de 08 semanas entre a primeira e a segunda aplicação. E a CoronaVac, que deve ser aplicada em pessoas de 06 a 17 anos, não podendo ser vacinadas pessoas dessa faixa etária que são imunossuprimidas. A dose é a mesma aplicada em adultos e tem o intervalo de 28 dias entre primeira e segunda dose.

Gráfico: Sesapi


Vacinômetro da Sesapi mostra cidades com 0% de doses aplicadas até este sábado (12)

São Raimundo Nonato já vacinou 90%

Enquanto algumas cidades ainda não registram a aplicação de doses, o município de São Raimundo Nonato atingiu a marca de 91,28% das crianças de 5 a 11 anos vacinadas. Já foram administradas 3.444 doses em uma população estimada de 3.773 crianças.

Outras oito cidades estão com índice de vacinação desse público acima de 70%. É o caso de Olho D'água do Piauí, que atingiu o percentual de 84,34%.

Veja a lista das cidades que mais vacinaram crianças:

  1. São Raimundo Nonato 91,28%
  2. Olho D'água do Piauí 84,34%
  3. Jatoba do Piauí 79,62%
  4. Caxingó 79,32%
  5. Cocal dos Alves 77,65%
  6. Caraúbas 75,38%
  7. Lagoinha do Piauí 73,79%
  8. Rio Grande do Piauí 71,56%
  9. Curimatá 71,31%

“Vamos respeitar todo o planejamento de cada município, mas cobrar agilidade na aplicação das doses por entender que temos o grande desafio de fazer avançar a imunização nessa faixa etária”, afirma o secretário de Saúde, Florentino Neto. Segundo ele, a Sesapi quer estimular a criação de estratégias que possibilitem o avanço da cobertura vacinal de crianças.

De acordo com o gestor, na próxima segunda-feira (14), durante a reunião da Comissão Intergestora Bipartite (CIB), com a presença do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems), será levantada a discussão sobre a vacinação de crianças entre 5 a 11 anos e propor uma força tarefa para que o estado consiga índices tão satisfatórios nesse público, quanto na população acima de 18 anos.

Hérlon Moraes (Com informações da Sesapi)
[email protected]

Imprimir