Cidadeverde.com
Últimas

DPCA investiga denúncia de sequestro de bebê desaparecido há quase dois meses

Imprimir

Foto: Arquivo Pessoal

A Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) está investigando uma denúncia de sequestro de um bebê de 1 ano e 9 meses, Wesley Carvalho Ferreira. O caso teria acontecido na Praça da Bandeira, Centro de Teresina, no dia 29 de dezembro de 2021, mas a mãe da criança só registrou o Boletim de Ocorrência no dia 9 de fevereiro, 42 dias após o suposto sequestro. 

O Cidadeverde.com conversou com a delegada Lucivânia Vidal, da DPCA, que confirmou o caso e disse que a delegacia está investigando devido a estranheza da ocorrência. 

"O fato ocorreu há quase dois meses e só agora a família registrou o Boletim. É um caso bem estranho e já está sendo investigado pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente. O inquérito é presidido pelo delegado Antonio Barbosa, que deve começar logo as oitivas dos familiares", pontuou a delegada. 

A mãe da criança é Angela Valeria Ferreira Ferro, de 21 anos, e só procurou a DPCA após incentivo da irmã, Socorro Ferreira. 

"Eu estava sem ter contato com ela há quase dois meses. Fui na casa onde ela morava com o filho e o esposo e ao chegar lá percebi que a casa estava abandonada. Então, fui conversar com vizinhos e descobri onde ela estava atualmente. Queria visitar ela para ver a criança e levar ele para passar uns dias comigo, junto com ela", informou Socorro ao Cidadeverde.com

Ao chegar na residência de Angela, Socorro disse que perguntou pelo bebê e só então tomou conhecimento do que havia acontecido no final de 2021. 

"A primeira coisa que eu questionei foi: 'Angela, porque tu não comunicou a gente? Procurou a delegacia?'. Ela disse que ficou com medo da nossa reação, da gente chamar a polícia para prender ela", relatou Socorro. 

O sequestro 

Segundo a denúncia, o suposto sequestro aconteceu no dia 29 de dezembro de 2021, por volta das 09h. Angela, Wesley e o pai da criança estavam sentados em um banco da Praça da Bandeira quando teriam sido abordados por dois homens armados. 

Segundo relatou a mãe à irmã, os homens se aproximaram e pediram a criança. 

"Ela disse que eles já chegaram dizendo: 'Passa a criança senão a gente vai atirar em vocês três'. Neste momento, ela disse que viu a arma e entregou o filho. A dupla saiu caminhando e pediu para eles não fazerem nenhum movimento, senão iriam atirar neles", afirmou Socorro à reportagem. 

Após o ocorrido, mãe e pai da criança mudaram de endereço e não falaram para ninguém do que tinha acontecido temendo represálias. 

O fato, no entanto, causou estranheza aos policiais, que irão colher o depoimento dos pais e dos familiares, que não foram procurados para ajudarem a entregar Wesley. 

A família pede que aqueles que tiverem informações sobre o paradeiro de Wesley, ligue para (86) 99516-0961 (Socorro) ou (86) 99454-6473 (Raimundo).

 

 

 

 

Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir