Cidadeverde.com
Entretenimento

Brad Pitt diz que Angelina vendeu secretamente sua parte em vinícola

Imprimir

Foto: OLIVIER BORDE/Bestimage/Honopix/Folhapress
PARIS, FRANÇA, 03.06.2013 - Brad Pitt e Angelina Jolie na estreia do filme "World War Z", em Paris. 

Brad Pitt, 57, diz que Angelina Jolie, 46, o traiu ao vender secretamente sua participação em uma vinícola para um oligarca russo e agora está processando a ex-mulher para desfazer o acordo. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (17) pelo TMZ, que teve acesso a documentos legais.

Os dois compraram o Chateau Miraval em Correns, França, em 2008. Brad diz que investiu muito dinheiro e tempo na vinícola ao longo dos anos, embora reconheça que Angelina desembolsou 40% do valor da compra de US$ 28,4 milhões (R$ 146 milhões)
Brad disse que fez sozinho a vinícola ter sucesso porque em 2013 ela não estava cuidando disso. Ele afirma que eles sempre tiveram o acordo que nenhum deles poderia vender sua participação sem o consentimento do outro.

Desde o ano passado, Pitt está movendo um processo contra Angelina por tentar tirá-lo de um acordo de venda das ações do vinhedo do ex-casal. No processo, ele diz que ela é "vingativa" e a culpa de "obstrução sistemática", segundo o Daily Mail.

Segundo o processo, o vinhedo é de propriedade da Quimicum, empresa em que Pitt detém 60% , por meio de sua outra empresa Mondo Bongo, enquanto Jolie detinha 40 por cento através de sua empresa, Nouvel.

Jolie possui possui 40% das ações da Quimicum. Mas três anos antes da separação, o ator igualou o poder dos dois como acionistas, transferindo 10% das ações da Mongo Bongo para a Nouvel.

A defesa do ator alega que Jolie está tentando lucrar com a "incrível quantidade de trabalho, tempo e dinheiro" investida por Pitt e seus parceiros de negócios no crescimento da marca.

"Vale a pena mencionar que, nos últimos quatro anos, a Nouvel [empresa de Jolie] não agiu no melhor interesse da Quimicum, atrasando sistematicamente a aprovação das contas anuais e a renovação do administrador", diz o processo.

A vinícola já foi considerada o refúgio do casal. Eles se conheceram no local no set de "Sr. e Sra Smith" (2004), quando Pitt ainda era casado com Jennifer Anniston. Agora, a vinícola é mais uma propriedade que o casal disputa no divórcio. De acordo com a ação judicial, o vinhedo está avaliado em mais de EUR 140 milhões (R$ 820 milhões).

Em julho do ano passado, Jolie havia entrado na Justiça para encerrar todas as parcerias comerciais que ainda tem com seu ex-marido. Segundo o TMZ, a estrela de Hollywood quer desvincular do ator o mais rápido possível.

Uma das sociedades que ela quer desfazer é da vinícola francesa que pertence aos dois. O TMZ afirma que os advogados de Pitt gostariam de realizar o processo de forma amigável, sem envolver a Justiça nisso.

Porém, Jolie queria acelerar a compra da vinícola e entrou com uma petição dia 6 de julho solicitando que um juiz removesse a ordem de restrição temporária de seus bens, sendo colocada em prática quando o divórcio foi encaminhado.

Essa prática é comum na Justiça norte-americana e impede que as partes envolvidas façam decisões financeiras que possam prejudicar o outro durante o processo de separação. Apesar de estarem legalmente divorciados desde 2018, Jolie e Pitt ainda não chegaram a um acordo sobre seus bens e a custódia dos filhos.

O pedido da atriz aconteceu após uma pessoa se interessar em comprar a propriedade. "Depois de todos esses anos tentando se livrar de ser parceria de negócios de seu ex-marido em termos financeiros aceitáveis, a Sra. Jolie está extremamente desejosa de fechar o acordo pendente para a venda de Nouvel, LLC", disseram os advogados de Jolie.

A vinícola francesa foi comprada pelo casal em 2011, por US$ 60 milhões ( R$ 351 milhões na cotação atual). A equipe da artista alega que a propriedade era exclusivamente dela, já que foi comprada antes do casamento, que ocorreu em 2014.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir