Cidadeverde.com
Esporte

Gabigol e Arana duelam para levar Supercopa e ganhar pontos com Tite

Imprimir

Se a Supercopa do Brasil não representa o principal objetivo de Flamengo e Atlético-MG na temporada, a disputa deste domingo (20), às 16h, na Arena Pantanal, pode significar mais um passo para as pretensões de Gabigol e Guilherme Arana de disputar, no fim do ano, a Copa do Mundo no Qatar.

Foto - Lucas Figueiredo - CBF

A nove meses do Mundial, com abertura marcada para 21 de novembro, ter uma participação importante em jogos grandes é uma forma de chamar a atenção de Tite. Apesar de ter poucas dúvidas, o técnico da seleção brasileira ainda não fechou o grupo para a competição.

O troféu que estará em jogo no confronto em Cuiabá é geralmente disputado entre o campeão brasileiro e o vencedor da Copa do Brasil. Como o time mineiro ganhou os dois títulos em 2021, a equipe carioca entrou na disputa na condição de vice-campeã nacional –Globo e SporTV vão exibir o confronto.

O desempenho atleticano na temporada passada levou Arana a acumular mais troféus recentes do que Gabigol. Além dos títulos nacionais e do estadual pelo clube, o lateral também ganhou a medalha de ouro com a seleção olímpica nos Jogos de Tóquio.

Já o atacante flamenguista festejou somente as conquistas da Supercopa do Brasil e do estadual, além de ter sido finalista da Libertadores.

Por outro lado, Gabigol esteve presente na convocação mais recente de Tite, para os jogos contra Equador e Paraguai, pelas Eliminatórias –ele atuou durante 12 minutos no empate por 1 a 1 com os equatorianos.

Com o Brasil já classificado, as partidas foram usadas pelo técnico para fazer testes na equipe, mas nem assim o jogador do Flamengo conseguiu acumular mais minutagem. Constantemente convocado, porém, ele esteve presente em 9 dos 15 jogos do país no torneio classificatório. Titular quatro vezes, marcou dois gols.

Como Roberto Firmino, do Liverpool, e Richarlison, do Everton, não vivem boa fase, o camisa 9 do time carioca tem conquistado mais espaço e até ganhou elogios de Tite.

O treinador valorizou o fato de o atleta ter se cuidado nas férias e se apresentado em boa forma paras a partidas do início de temporada.

"Quando ele volta com condição de peso, de percentual de gordura e de massa muscular condizente, já tem toda a interpretação do pessoal do departamento de fisiologia de que houve por parte dele cuidados. Isso mostra maturidade", destacou o comandante.

Arana, por outro lado, acabou preterido na última convocação mesmo com a ausência de Renan Lodi, do Atlético de Madrid, que não foi considerado na lista por não ter se vacinado contra a Covid-19.

Tite preferiu levar Alex Sandro, da Juventus, e Alex Telles, do Manchester United. A disputa na esquerda, portanto, está entre as mais acirradas no time canarinho.

Concorrendo com adversários que estão em grandes clubes da Europa, o jogador formado na base do Corinthians não pretende deixar o futebol brasileiro novamente em um futuro próximo justamente para ter mais chances de conquistar uma vaga na seleção. Ele já jogou pelo espanhol Sevilla e pela italiana Atalanta, sem conseguir se firmar.

"Eu estou querendo fazer o meu melhor dentro do meu clube para conquistar essa vaga. Tem grandes jogadores na minha posição, então eu deixo o Tite escolher a melhor opção.

Como eu falei, estou fazendo um bom trabalho aqui no clube e me dedicando ao máximo. Tenho certeza de que posso ganhar essa chance de disputar uma Copa do Mundo. Esse é o meu objetivo", disse o atleticano.

Até o início da Copa, a seleção terá mais cinco jogos das Eliminatórias (Equador, Paraguai, Chile, Bolívia e Argentina). Há também a previsão de disputa de cinco amistosos, ainda não confirmados pela CBF. Serão esses jogos que vão definir os representantes do país no Mundial.

Os jogadores que ainda lutam por espaço sabem que precisam apresentar bom nível em seus clubes. Para Arana e Gabigol, que se encaixam no perfil, um bom desempenho em um clássico nacional, valendo taça, pode ser um passo importante rumo ao Qatar.

Fonte: Folhapress

Imprimir