Cidadeverde.com
Esporte

Atlético-MG bate Flamengo em longa disputa por pênaltis e conquista Supercopa do Brasil

Imprimir

Em um jogo de bom nível técnico, o Atlético-MG derrotou o Flamengo nos pênaltis e conquistou a Supercopa do Brasil. Após empate por 2 a 2 na Arena Pantanal, em Cuiabá, na tarde de domingo (20), a equipe alvinegra foi mais eficiente nos tiros de desempate e levou a melhor por 8 a 7, com 12 chutes de cada lado.

Foto - Pedro Souza - Atlético-MG

Foi o primeiro título da equipe preta e branca na competição, que geralmente reúne o vencedor do Campeonato Brasileiro e o campeão da Copa do Brasil. Como o Atlético-MG levou esses dois torneios em 2021, o Flamengo foi à Supercopa como vice brasileiro.

A disputa em jogo único foi cheia de alternativas e mudanças de rumo. O time de Belo Horizonte saiu na frente no primeiro tempo, com Nacho Fernández, levou a virada na etapa final em tentos de Gabigol e Bruno Henrique, e buscou o empate com Hulk. Nos pênaltis, foi melhor.

A alta temperatura em Cuiabá não impediu que os times fizessem uma boa partida. O Flamengo teve predomínio no campo de ataque na maior parte do tempo, mas sofreu com momentos de pressão do Atlético-MG, que contava com boas opções ofensivas.

Na primeira etapa, a formação carioca teve clara superioridade, embora não tenha conseguido balançar a rede. Gabigol teve três boas oportunidades e falhou. Como falhou também o goleiro Hugo, permitindo que a agremiação alvinegra abrisse o placar.

Aos 42 minutos, Guilherme Arana teve espaço na intermediária e bateu com força. A bola foi no meio do gol, mas o arqueiro se atrapalhou com o quique da bola e deu rebote, aproveitado por Nacho Fernández.

O Flamengo deu sequência à sua pressão na volta do intervalo e buscou o empate aos 11 minutos, quando Arrascaeta superou a marcação pela esquerda e cruzou. Everson impediu o gol no cabeceio de Bruno Henrique, mas Gabigol teve o rebote com a meta desprotegida.

Aí, o jogo tomou um ritmo acelerado, com os times se alternando em ataques fortes. Aos 19, Lázaro, que tinha acabado de entrar, achou Bruno Henrique na área. Godín se atrapalhou e permitiu que o atacante encobrisse Everson para a virada.

Atrás no marcador, o Atlético-MG passou a buscar mais agressivamente o ataque. Aos 30, outros jogadores que acabaram de entrar tiveram participação importante: Ademir cruzou e Vargas ajeitou de cabeça. Hulk dominou e empatou o duelo com o chute forte de pé direito.

Houve chances para os dois lados, mas nenhuma das redes voltou a ser balançada até o apito final de Anderson Daronco no tempo normal. Na disputa por pênaltis, os comandados de Antonio Mohamed levaram a melhor sobre os de Paulo Sousa.

Fonte: Folhapress

Imprimir