Cidadeverde.com
Esporte

Manchester United sofre, mas busca empate contra o Atlético na Champions

Imprimir

Coube então ao sueco Anthony Elanga evitar uma derrota do time inglês no duelo de ida pelas oitavas de final da Champions League, disputado na capital espanhola.

Com um gol do jovem jogador de 19 anos, a equipe inglesa conseguiu buscar um empate por 1 a 1 o português João Félix foi quem marcou para os donos da casa.

O confronto de volta será no dia 15 de março, na Inglaterra. Já que o gol marcado como visitante não é mais um critério de desempate, o confronto está aberto e, em caso de uma nova igualdade, a disputa se estenderá para a prorrogação.

O empate, anotado aos 35 do segundo tempo, não só aliviou a pressão sobre o United, como também foi um castigo para o Atlético, que teve uma atuação melhor.

Depois de abrir o placar aos 7 minutos, quando o brasileiro Renan Lodi cruzou na cabeça de João Félix, criou ao menos mais três chances claras de fazer mais gols.

Já nos minutos finais, Antoine Griezmann acertou uma bola no travessão, pouco depois de o time da Inglaterra ter conseguido o empate.

Com exceção do gol de Elanga, o United teve raros momentos de lucidez no campo de ataque. Cristiano Ronaldo foi tão bem marcado que não teve nenhuma finalização certa, nem mesmo quando teve a chance de cobrar uma falta na entrada da área.

Havia uma grande expectativa sobre a atuação do português diante do Atlético de Madrid, uma vez que ele já fez 25 gols contra a equipe espanhola.

Apenas o Sevilla viu suas redes serem vazadas mais vezes pelo craque, autor de 27 gols contra o também clube espanhol. Sorte dele que, desta vez, o Manchester conseguiu evitar uma derrota sem um gol seu.

Também nesta quarta, em Portugal, o Benfica empatou com o Ajax por 2 a 2. O jogo de volta será no dia 15 de março, na Holanda. Sébastien Haller e Dusan Tadic marcaram pelo time holandês e o próprio Haller, mas contra, e Roman Yaremchuk fizeram os gols dos donos da casa.

Na comemoração, o ucraniano Yaremchuk levantou a camisa do Benfica e exibiu outra camisa com o símbolo do brasão de armas de seu país, como forma de se posicionar em meio à tensão política entre a Ucrânia e a Rússia.

Manifestações políticas são proibidas em partidas organizadas pela Uefa, mas a entidade que organiza o futebol europeu ainda não se manifestou sobre o caso.

A crise entre os países, aliás, já tem causado dor de cabeça para a instituição, que estuda mudar a sede da final da Champions, marcada para o dia 28 de maio, na cidade russa de São Petersburgo.

Fonte: Folhapress

Imprimir