Cidadeverde.com
Esporte

Uefa condena invasão russa na Ucrânia e deve mudar local de final da Champions

Imprimir

A Uefa, órgão que comanda o futebol europeu, se posicionou nesta quinta-feira (24) sobre a invasão de tropas russas na Ucrânia e condenou a ação militar ordenada pelo presidente russo Vladimir Putin.

A entidade agendou para esta sexta (25) uma reunião extraordinária na qual discutirá, entre outras questões relacionadas ao tema, a provável retirada da final da Champions League de São Petersburgo, na Rússia.

O jogo que irá decidir o campeão europeu da temporada 2021/2022 está previsto para 28 de maio.

"A Uefa compartilha a preocupação da comunidade internacional com a situação de segurança na Europa", disse o órgão em um comunicado.

"Estamos lidando com essa situação com seriedade e urgência. Decisões serão tomadas pelo Comitê Executivo da Uefa e anunciadas amanhã (sexta)."

Na reunião agendada para esta sexta, os membros da Uefa poderão não só comunicar a mudança de sede da final da Champions, mas impor sanções contra Moscou e o futebol russo, seguindo a linha adotada por alguns países.

O estádio de São Petersburgo, que deveria sediar a decisão da competição europeia, leva o nome da gigante do gás Gazprom. A empresa é um dos principais patrocinadores da Uefa desde 2012.

O Schalke 04, um dos clubes mais tradicionais da Alemanha e o de maior torcida do país, anunciou nesta que não vai mais exibir o nome da Gazprom, sua patrocinadora, em seu uniforme.

A decisão foi postada na conta oficial da equipe no Twitter, horas depois da invasão da Rússia à Ucrânia.

Com valor de mercado de US$ 73,5 bilhões (R$ 377,4 bilhões, pela cotação atual), a Gazprom é a mais antiga patrocinadora do Schalke 04, está no clube desde 2006 e paga cerca de US$ 13 milhões anuais para estampar seu nome na camisa.

Fonte: Folhapress

Imprimir