Cidadeverde.com
Últimas

Grávida denuncia que está há quase um mês tentando fazer cadastro no CRAS

Imprimir

Foto: Nataniel Lima / Cidadeverde.com 

A podologista Luana Beatriz, de 19 anos, está grávida de 5 meses e há cerca de um mês tanta realizar seu cadastro no Auxílio Brasil. Ela procura o Cras (Centro de Referência de Assistência Social), no bairro Redenção, zona Sul de Teresina, mas não consegue devido à superlotação na unidade. A denúncia foi feita ao Cidadeverde.com pela podologista na manhã desta terça-feira (15). 

De acordo com Luana Beatriz, todas as vezes que vai até a unidade precisa disputar uma senha com pessoas que muitas vezes dormiram na porta do CRAS. Além disso, segundo a mulher, há uma desorganização por parte dos funcionários do local. 

“Tem funcionário sem máscara e que não faz o atendimento direito. Uma mulher pediu para eu vir às 4h da manhã [para ser atendida]. É certo eu vir nesse horário correndo o risco de ser assaltada, estuprada?”, questionou Luana Beatriz. 

A tia do esposo de Luana, que prefere não se identificar, acompanha a grávida no CRAS Sul porque precisa atualizar seu cadastro no Auxílio Brasil. A mulher é outra que criticou a desorganização no espaço. 

“A gente vem de longe, do Teresina Sul 2, porque o CRAS de lá não está funcionando. Temos que aguardar ônibus para chegar aqui e ainda ter que sofrer com isso. Chegamos às 6h da manhã e só conseguimos vaga para a tarde. Ou seja: vamos ficar sem almoçar porque não compensa voltar em casa”, lamentou a tia do esposo de Luana. 

Foto: Nataniel Lima / Cidadeverde.com 

No CRAS SUL IV são distribuídas 50 senhas diariamente para atendimento: 30 para o turno da manhã e 20 para o da tarde. As senhas, no entanto, só são entregues às 8h e às 13h, respectivamente. 

“E por conta disso vamos precisar ficar aqui, esperando a senha. Se sairmos, vamos perder nossa vaga”, criticou a grávida de 5 meses ao acrescentar que precisa se alimentar de três em três horas porque tem uma gravidez de alto risco e anemia. 

Luana Beatriz afirmou à reportagem também que outras mulheres grávidas também ficaram até tarde no CRAS Sul IV aguardando pegar uma senha. Segundo ela, a maioria não consegue porque pessoas que moram na região costumam dormir na fila para venderem a vaga. 

O que diz o CRAS Sul IV

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) informa que há uma orientação a todas as unidades a manter os protocolos de segurança contra a Covid-19 e inclusive, a entrada permitida apenas para quem estiver de máscara, tanto  servidores quanto de público.  Sobre a denúncia, na unidade do Cras Sul IV, será devidamente apurada e irá reforçar a necessidade do uso de máscaras com todas as equipes. 

A Semcaspi segue oferecendo o material de proteção contra a Covid-19 como: máscaras protetoras, álcool em gel, além da recomendação do distanciamento social. 

Quanto à denúncia de superlotação, a Semcaspi confirma que houve, na manhã desta terça-feira, (15), um fluxo maior de atendimentos, no entanto, todas as demandas foram devidamente sanadas e o público atendido.

 

Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir