Cidadeverde.com
Esporte

Palmeiras vence o Corinthians e garante a melhor campanha do Paulistão

Imprimir

O primeiro dérbi com técnicos portugueses terminou com vitória do Palmeiras. No Allianz Parque, quase 40 mil palmeirenses viram o time alviverde derrotar o arquirrival na noite desta quinta-feira por 2 a 1 em duelo do Campeonato Paulista graças, sobretudo, a uma atuação de gala de Danilo. 

Foto - Cesar Greco - Palmeiras

O jovem palmeirense sofreu o pênalti que Raphael Veiga converteu para abrir o placar, anulou Renato Augusto e anotou o gol da vitória em lance de oportunismo. A equipe de Vitor Pereira marcou com Róger Guedes, de pênalti, e não conseguiu se impor na casa do rival.

Foi o primeiro dérbi com torcida durante a pandemia e um clássico à altura da grandeza dos dois clubes. Ganhou o time cujo estágio de trabalho de seu técnico está avançado.

Abel Ferreira, há 16 meses no cargo, armou uma equipe intensa, que encurralou o adversário e foi dominante em boa parte do jogo. Foi o terceiro triunfo palmeirense em clássicos no Estadual. Vitor Pereira tem o desafio de fazer o Corinthians um time mais intenso e agressivo.

O triunfo mantém o Palmeiras invicto e o garante com a melhor campanha entre os 16 times do Estadual. São 29 pontos em 33 disputados para o time de Abel Ferreira, que se classificou com antecedência ao mata-mata. O Corinthians soma 20 pontos e briga com o São Paulo pelo segundo posto na classificação geral. 

Também está garantido nas quartas. Os dois fecham a primeira fase no domingo, às 16h, em confrontos fora de casa. A equipe alviverde duela com o Red Bull Bragantino e a alvinegra encara o Novorizontino.

Foi um primeiro tempo primoroso do Palmeiras, que sufocou o arquirrival desde a saída de bola, forçou erros de Cássio, ruim com os pés, e atacou principalmente pelo lado direito, com Dudu. Mostrou variação de jogadas e intensidade e não precisou ter mais a bola para ser superior.

Dos pés do camisa 7, que ganhou todas do jovem lateral Lucas Piton, originaram-se as principais chances. Numa delas, ele cruzou, o goleiro corintiano espalmou e Rony se atrapalhou na hora de concluir. 

Na sobra, Danilo bateu de direita para a defesa de Cássio, que fez outras duas intervenções em um intervalo curto de tempo, no arremate de Piquerez de fora da área e no cabeceio de Gustavo Gómez.

No cruzamento de Zé Rafael para Veiga desviar, o goleiro não pôde fazer nada, mas a bola saiu, passando perto da trave.

A pressão alviverde deu resultado aos 23 minutos, quando Danilo foi barrado por Gil na área. O jovem árbitro Matheus Candançan, de 23 anos, foi ao monitor ver o lance e assinalou a controversa penalidade. Raphael Veiga, perfeito da marca da cal, bateu com força e anotou seu vigésimo gol de pênalti em 20 tentativas.

Até o gol o Palmeiras tinha mais finalizações, mais desarmes, mais cruzamentos, mais lançamentos e mais dribles. Pressionava o rival e o empurrava para o seu campo, com agressividade.

O cenário seguiu parecido depois que os mandantes foram às redes. O que mudou foi que os visitantes passaram a atacar, mas, com seus craques sem inspiração e bem marcados, especialmente Willian e Renato Augusto, não levaram perigo ao gol de Weverton

O Corinthians tinha que atacar, e o fez no segundo tempo, ainda que com dificuldades. O jogo não fluía, mas o time conseguiu seu gol da mesma maneira que o rival: em cobrança de pênalti, que Murilo cometeu ao derrubar Róger Guedes. O próprio atacante cobrou no alto e converteu.

Sereno, o Palmeiras retomou o controle do jogo e desempatou com Danilo. Na ausência de um camisa 9, o jovem meio-campista aproveitou rebote de Cássio após cabeceio de Rony e estufou as redes.

Depois, se defendeu das investidas alvinegras. Na melhor delas, Giuliano aproveitou falha de Weverton e cabeceou perto da trave.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir