Cidadeverde.com
Esporte

Verstappen supera Leclerc, vence GP em Jeddah e esquenta rivalidade com a Ferrari

Imprimir

Após não conseguir completar a prova de estreia da Fórmula 1, no Bahrein, o atual campeão Max Verstappen travou uma grande batalha com Charles Leclerc nas voltas finais do GP da Arábia Saudita, neste domingo, venceu a corrida e mostrou que a rivalidade entre Red Bull e Ferrari deve render uma série de boas histórias em 2022. 

Segundo colocado, o piloto monegasco completou o pódio ao lado do companheiro ferrarista Carlos Sainz, em terceiro.

Já Sergio Pérez, dono de uma pole position inédita, a primeira da história do México, não conseguiu se manter no top 3 e ficou em quarto lugar. George Russel, Esteban Ocon, Landon Norris, Pierre Gasly, Kevin Magnussen e Lewis Hamilton completaram o top 10. 

Com problemas em sua Mercedes, Hamilton largou do 16º lugar, depois de ter ficado pela primeira vez de fora do Q2 desde 2017, quando largou em último no GP do Brasil. Naquela ocasião, contudo, fez uma prova incrível e terminou em quarto.

Vencedor no Bahrein, quando Verstappen abandonou a corrida por problemas mecânicos, Leclerc continua liderando o campeonato, com 45 pontos. Sainz é o segundo, com 33 pontos, e o holandês da Red Bull ocupa a terceira colocação, graças aos 25 pontos conquistados em Jeddah, sua primeira pontuação da temporada.

Neste domingo, a tensão no circuito de Jeddah foi um pouco menor do que nos outros dias. Depois de um bombardeio em um depósito de petróleo a 10 quilômetros da pista, ataque reivindicado pelo grupo político-religioso Houthis, na sexta, e um acidente que destruiu o carro de Mick Schumacher nos treinos de sábado, a corrida teve um clima um pouco mais tranquilo. 

De qualquer forma, houve uma batida de Nicholas Latifi e vários abandonos, tanto que a prova terminou com apenas 13 carros.

Pérez soube valorizar seu feito inédito e pisou fundo no acelerador para fazer uma largada tranquila, sem dar oportunidade para os rivais tomarem a primeira posição.

Entre os primeiros colocados, a principal ultrapassagem foi efetuada por Max Verstappen, que saiu do quarto lugar e logo roubou a terceira posição de Carlos Sainz. 

Enquanto isso, lá para trás, Lewis Hamilton, protagonista de muitos episódios de recuperação, não conseguiu sair do 14º lugar.

Na sétima volta, a corrida já se desenhava para uma disputa exclusiva entre Ferrari e Red Bull. Isso porque, nesse ponto da prova, o líder Pérez já estava 14s à frente de George Russel, quinto colocado.

A dupla Fernando Alonso e Esteban Ocon, da Alpine, ocupava a sexta e a sétima colocação, respectivamente, seguidos por Bottas, Magnussen e Gasly fechando o top 10.

A fila dos pontuadores ganhou um novo integrante quando Hamilton, que já havia conseguido três ultrapassagens, superou Gasly e assumiu a décima posição.

Pouco depois, na volta 17, Nicholas Latifi bateu contra o muro no setor 3. O acidente não foi tão violento quanto o protagonizado por Mick Schumacher no classificatório de sábado, mas a Williams do canadense ficou danificada e espalhou alguns pedaços pela pista.

A batida ocorreu logo após Pérez parar nos boxes, o que fez Leclerc assumir a ponta sem dar a chance de retomada ao piloto da Red Bull, já que o safety cara entrou em ação. Assim, a fila atrás do carro de segurança tinha o monegasco em primeiro, seguido por Verstappen, Pérez, Sainz e Russel. 

A terceira colocação de Pérez só foi alcançada porque ele fechou Sainz na saída do pit lane, fora da linha do safety. Por isso, o mexicano teve que devolver a posição ao ferrarista após a relargada e ficou em quarto.

No momento em que a disputa foi retomada, Magnussen era o sexto, enquanto Hamilton já estava em sétimo, e não demorou para os dois travarem um duelo.

O britânico ultrapassou o dinamarquês na volta 24, mas logo viu o adversário responder e voltou para sétimo. Sem desistir, o heptacampeão continuou forçando e alcançou o quinto lugar de maneira definitiva.

Cerca de dez voltas depois, foi a vez de Fernando Alonso deixa Magnussen para trás. O problema é que, na sequência, o carro do espanhol perdeu potência e ficou muito lento na pista. Enquanto era ultrapassado por todos,se dirigiu aos boxes. 

Instantes depois, Daniel Ricciardo e Valtteri Bottas também tiveram problemas mecânicos. Ricciardo, aliás, ficou parado no canto da pista, e teve que ser empurrado ao pit lane, onde encontrou Alonso também parado. No fim das contas, os três abandonaram.

A partir daí, a corrida seguiu com apenas 14 pilotos, uma vez que, além das desistências, a largada não teve a presença de Mick Schumacher, em razão do acidente de ontem, e de Yuki Tsunoda, que teve problemas com sua AlhpaTauri e deixou o grid.

Após o acionamento do carro de segurança virtual, a bandeira verde foi estendida e a disputa foi retomada na volta 40. Hamilton, que ainda não tinha parado, foi aos boxes, e voltou bem atrás.

Lá na frente, foi iniciado o esperado duelo entre Leclerc e Verstappen. O atual campeão usou a asa móvel para roubar o primeiro lugar e viu o ferrarista usar do mesmo recurso para voltar à ponta.

Insistente, o holandês arriscou uma nova investida, mas o monegasco resistiu em meio à fumaceira provocada pelos pneus de ambos os carros.

Em nova tentativa, contudo, quando restavam quatro voltas para o fim, Verstappen foi bem na reta e conseguiu assumir a liderança. A dupla da Ferrari cruzou a linha de chegada logo atrás dele, seguidos por Pérez e Russell.

A disputa entre Ferrari e Red Bull ganha um novo episódio apenas no dia 10 de abril, daqui a duas semanas, quando será realizado o GP da Austrália.

1º - Max Verstappen (HOL/Red Bull) - 1h24min19s293

2º - Charles Leclerc (MON/Ferrari) - a 0s549

3º - Carlos Sainz (ESP/Ferrari) - a 8s097

4º - Sérgio Perez (MEX/Red Bull) - a 10s800

5º - Geroge Russel (ENG/Mercedes) - a 32s732

6º - Esteban Ocon (FRA/Alpine) - a 56s017

7º - Lando Norris (ING/McLaren) - a 56s124

8º - Pierre Gasly (FRA/AlhpaTauri) - a 1min2s946

9ª - Kevin Magnussen (DIN/Haas) - a 1min4s308

10º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes) - a 1min13s984

11º - Zhou Guanyu (CHI/Alfa Romeo) - a 1min22s215

12º - Nico Hulkenberg (ALE/Aston Martin) - a 1min31s742

13º - Lance Stroll (ING/Aston Marin) - 1 volta

14º - Alexander Albon (TAI/Williams) - sem tempo

Não completaram a prova:

Valtteri Bottas (FIN/Alfa Romeo)

Fernando Alonso (ESP/Alpine)

Daniel Ricciardo (AUS/McLaren)

Nicholas Latifi (CAN/Williams)

Yuki Tsunoda (JAP/AlphaTauri)

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir