Cidadeverde.com
Esporte

Borja marca, e Junior Barranquilla vence o Fluminense na Sul-Americana

Imprimir

Em uma noite em que foi completamente dominado no primeiro tempo, o Fluminense perdeu para o Junior Barranquilla, da Colômbia, fora de casa, por 3 a 0, pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana, nesta quarta-feira (13). 

Foto: Mailson Santana/FFC

O placar foi construído com gols de Didier Moreno, Borja, velho conhecido dos torcedores brasileiros, e Sambueza.

Com o resultado, o clube tricolor permanece com três e caiu para a terceira colocação do Grupo H, enquanto a equipe de Barranquilla foi a quatro pontos e empatou com o Unión Santa Fe. O Oriente Petrolero ainda não pontuou.

A equipe das Laranjeiras, na próxima rodada, encara o Unión Santa Fe, no Maracanã, no dia 26. O Fluminense volta a campo neste sábado (16), pelo Campeonato Brasileiro, para encarar o Cuiabá.

O jogo começou bastante movimentado, mas com o Junior Barranquilla tendo um volume maior. E os donos da casa abriram o placar cedo. Aos dez minutos, Albornoz avançou pela direita e cruza para a área. Moreno, sem marcação, chegou batendo e balançou a rede.

Após o gol, o Junior Barranquilla continuou "empurrando" o Fluminense e, com finalizações de média distância, obrigou o goleiro Fábio a fazer defesas.

O time tricolor carioca ainda tentou ter mais a bola e chegar ao ataque, e conseguiu por poucos minutos. Não demorou muito e os donos da casa voltaram a aplicar o ritmo inicial, rondar a área do Fluminense e criar boas oportunidades.

A equipe de Abel Braga, quando tentava sair do campo defensivo e do sufoco, errava muitos passes e não conseguir articular as jogadas.

Nos minutos finais do primeiro tempo, Giraldo ia avançando no meio da defesa e foi derrubado por André. A arbitragem marcou pênalti, mas os jogadores tricolores reclamaram que o toque teria sido fora da área, e houve empurra-empurra entre jogadores dos dois times -vale lembrar que não há VAR. 

Na cobrança da penalidade, Borja, ex-Palmeiras e Grêmio, bateu e fez o segundo do Junior.

No retorno do intervalo, o técnico Abel Braga buscou uma mudança de atitude da equipe e colocou o atacante Luiz Henrique na vaga do lateral Calegari. 

Com essa alteração, o zagueiro Nino ficou ais como uma espécie de lateral, e o Fluminense passou a ter um desenho mais parecido com o 4-3-3. Nos minutos iniciais, o clube tricolor demonstrou outro ímpeto e conseguiu ter uma presença maior no ataque.

Pouco depois, Manoel sentiu e teve de sair. Com a entrada de Martinelli, Yago passou a fazer a lateral e Nino foi para o miolo de zaga.

Com mais posse e mais perto da área adversária, o Fluminense se tornou mais perigoso, mas parava na falta de capricho nas finalizações ou nas defesas de Viera.

Ao mesmo tempo em que ia ao ataque, o Fluminense deixava espaços. E em uma das investidas, Hinestroza avançou em velocidade pela esquerda e achou Cetré na ala oposta. Ele bateu e a bola foi do lado de fora da rede.

Quando a partida caminhava para a reta final, David Braz avançou e foi derrubado no meio de campo. Logo depois, um novo empurra-empurra entre os jogadores das duas equipes.

Nos acréscimos, Sambueza roubou a bola, avançou a bateu na saída do goleiro Fábio.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir