Cidadeverde.com
Economia

BC libera última repescagem dos valores a receber; saiba como consultar

Imprimir

Foto: Renato Andrade / Cidadeverde.com 

O Banco Central libera neste sábado (16) a última repescagem da primeira fase do sistema Valores a Receber. Esta é a última oportunidade do mês para o resgate do dinheiro esquecido em bancos e instituições financeiras para pessoas nascidas e empresas criadas a partir de 1984.

A primeira fase de resgate do dinheiro esquecido teve início no dia 7 de março e, até o último dia 5 de abril, distribuiu mais de R$ 295 milhões a 3,3 milhões de pessoas físicas e 15,8 mil empresas. Os saques de pessoas físicas corresponderam a 96% dos valores devolvidos até o momento.

Em um primeiro momento, o Banco Central liberou um calendário de pagamentos dos valores a receber que dava poucas horas para o cidadão fazer o resgate. No entanto, muitos não conseguiram sacar o dinheiro. Segundo dados do Banco Central, cerca de 28 milhões tinham algum valor esquecido em bancos e financeiras, dos quais 26 milhões eram pessoas físicas e 2 milhões, pessoas jurídicas.

No fim de março, o Banco Central aprimorou o calendário e passou a dar aos cidadãos um dia inteiro para a retirada do dinheiro, conforme o ano de nascimento do trabalhador ou de abertura da empresa. A cada sábado de abril, houve a chance de repescagem. Agora, encerra-se a repescagem para os últimos contemplados no calendário.

COMO TRANSFERIR OS VALORES

Quem tem dinheiro a receber e nasceu ou abriu empresa a partir de 1984 deve acessar o site valoresareceber.bcb.gov.br para fazer a transferência. É preciso ter senha prata ou ouro no sistema Gov.br. Veja o passo a passo de transferência do dinheiro:

Passo 1 - Acesse o site valoresareceber.bcb.gov.br

O acesso ao site deve ser feito na data e horário informados anteriormente na consulta ao site.

Se ainda não souber o dia exato do resgate ou se perdeu a data, é possível fazer o resgate a qualquer momento

Passo 2 - Faça o login com sua conta gov.br

É preciso ter nível prata ou ouro no sistema para conseguir ter acesso ao dinheiro

Se ainda não possuir conta nesse nível, é preciso elevar a segurança por meio do site ou aplicativo (clique aqui para saber como mudar o selo da conta)

O cidadão não deve deixar essa atualização para o dia do resgate

Passo 3 - Leia o termo de responsabilidade

Para ter acesso ao dinheiro, é preciso ler o termo de responsabilidade e aceitá-lo

Passo 4 - É hora da consulta

O sistema do Banco Central vai mostrar:

os valores a receber;
as instituições que devem devolver o dinheiro;
o tipo dos valores;
informações adicionais, quando for o caso

Passo 5 - Clique em uma das opções que o sistema indicar:

"Solicitar por aqui" - significa que a instituição oferece a devolução do valor via Pix no prazo de até 12 dias úteis;

Selecione uma das chaves Pix e informe os dados pessoais;

Para pedir a transferência dos demais valores por meio de Pix, repita o procedimento de escolha da chave Pix;

Guarde o número de protocolo, caso seja preciso entrar em contato com a instituição;

"Solicitar via instituição" - significa que a instituição não oferece a devolução por Pix no prazo de até 12 dias úteis;

Neste caso, entre em contato pelo telefone ou email informado para combinar com o banco a forma de devolução do valor?;

Na tela de informações dos Valores a Receber, o cidadão deve consultar os canais de atendimento da instituição clicando no nome dela.

E QUEM NÃO CONSEGUIU SACAR?

O trabalhador ou empresário que tinha valores a receber nesta primeira fase, mas não conseguiu fazer o saque não perderá o dinheiro. Ao fazer a consulta no sistema de valores a receber, aparecerá uma mensagem informando que, no dia 2 de maio, haverá reabertura do programa.

Em maio, quando se iniciará a segunda fase de pagamentos, será possível resgatar o dinheiro que não foi sacado, sem prejuízo, a qualquer momento, segundo informações do Banco Central. Para isso, a partir do dia 17, o portal ficará fechado para reformulação.

O dinheiro a ser devolvido nesta segunda fase é referente a tarifas, parcelas ou obrigações em operações de crédito cuja devolução não estava prevista em termo assinado com o BC, além de contas de pagamento pré-pagas ou pós-pagas encerradas com saldo disponível.

Haverá também pagamentos em casos de contas mantidas em corretoras e distribuidoras de valores para registro de ativos financeiros dos clientes. Em muitos casos, há cobranças de tarifas duplicadas, que também serão devolvidas.

É nessa fase que os aposentados do INSS poderão resgatar os descontos indevidos no crédito consignado, segundo o Banco Central, e as empresas falidas poderão recuperar valores que ficaram esquecidos em alguma instituição. Além disso, herdeiros também poderão ter direito de recuperar o dinheiro esquecido pelo parente que morreu.

CIDADÃO PODERÁ FAZER NOVA CONSULTA

Independentemente de ter recebido dinheiro ou não na primeira fase, os cidadãos podem consultar e ter quantias a serem recebidas na nova fase. "Mesmo quem já resgatou seus recursos e quem não tinha valores a receber na primeira etapa deve consultar novamente o sistema, pois os dados serão atualizados e pode haver recurso novo", informa o banco.

Haverá uma mudança na logística de pagamento: já será possível realizar o saque no momento da primeira consulta, sem a necessidade de retornar ao sistema dos valores a receber posteriormente. O Banco Central ainda não deu informações sobre como deverá ser o saque dos herdeiros.

Fonte: Folhapress

Imprimir