Cidadeverde.com
Geral

Diretor geral da Evangelina Rosa fala sobre aquisição de equipamentos da nova Maternidade

Imprimir

Foto: CCom

A nova maternidade de Teresina, localizada na Avenida Presidente Kennedy, zona Leste da capital, segue com as obras avançando. Ao todo, o novo prédio terá a capacidade para 286 leitos, com o investimento total de mais de R$ 120 milhões, sendo mais de R$ 50 milhões em novos equipamentos. 

A estrutura vai ser uma das mais completas do país para o atendimento de gestantes e recém nascidos, além de casos de média e alta complexidade. 

Dos 286 leitos, 115 são destinados à terapia intensiva, com 20 leitos de UTI materna e 30 leitos de UTI neonatal. O local também contará com 45 leitos de cuidados intermediários e 20 leitos intermediários Canguru, destinado ao acolhimento da mãe e bebê. 

O diretor da maternidade Dona Evangelina Rosa, Francisco Macêdo, destaca que a nova estrutura contribuirá significativamente para a prestação dos serviços no Piauí. 

“A nossa dificuldade é a estrutura antiga e vai passar agora para um prédio moderno, novo, com todos os equipamentos novos, que vai dá mais uma condição de trabalho para a equipe”, disse.

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com

Francisco Macêdo

Francisco Macêdo destacou ainda que atualmente a Maternidade Evangelina Rosa recebe somente pacientes com alto risco e é o único local que realiza cirurgia neurológica neonatal no Piauí. Além disso, a Evangelina Rosa concentra ainda outros serviços, como o laboratório de alto risco, o banco de leite humano, único existente no estado, e o atendimento à mulher vítima de agressão sexual. 

A expectativa é que todos os serviços passem a ser ofertados na nova maternidade, inclusive com ampliação da capacidade atendimento. 

“A Evangelina Rosa, ao longo dos anos, foi se transformando em uma maternidade de alto risco. Então, hoje o parto normal vai para as maternidades dos bairros. Para cá, só vem paciente com está com uma patologia mais avançada. A nova maternidade vai dar a condição de melhorar o atendimento de alto risco”, ressaltou  Francisco Macêdo,

A nova maternidade está com mais de 90% das obras concluídas e deve ser inaugurada no segundo semestre deste ano. O prédio onde funciona a Evangelina Rosa deve ser desativado.  

“Está previsto para o segundo semestre, já tem muita coisa pronta, o que ainda falta são os equipamentos e detalhes”, finaliza Francisco Macêdo. 

Foto: Ccom

 

Da Redação
[email protected]

 

 

Imprimir