Cidadeverde.com
Esporte

Gabigol faz 2, Flamengo vence Católica e segue 100% na Libertadores

Imprimir

O Flamengo contou com noite inspirada de Gabigol, que marcou dois gols para bater a Universidad Católica-CHI, por 3 a 2, nesta quinta-feira (28), no Chile. Lázaro completou o placar e os chilenos descontaram com gols contra de Isla e Pablo.

Foto - Gilvan de Souza - Flamengo

O resultado manteve o rubro-negro na liderança do Grupo H com 100% de aproveitamento na Libertadores. Os chilenos estão na terceira posição com três pontos.

A próxima partida do Flamengo é diante do Altos-PI, fora de casa, pela Copa do Brasil. A partida será no domingo (1), às 18h. Pela Libertadores, o próximo compromisso será na Argentina, diante do Talleres, na quarta (4), às 19h.

Gabigol voltou a brilhar com a camisa rubro-negra na Libertadores. Autor de dois gols na partida, o atacante buscou o jogo e, além dos gols, contribuiu com o coletivo na criação de jogadas e no apoio defensivo. 

Os dois gols anotados pelo atacante fizeram com que ele chegasse aos 26 anotados na história da Libertadores, passando Fred e Palhinha (25) e se consolidando como 2º brasileiro com mais gols na história da competição. Luizão, com 29 gols, lidera a lista.

Vale citar também a boa partida de Bruno Henrique, que voltou de lesão e deu duas assistências para os gols do seu parceiro de ataque, despertando as melhores memórias na torcida flamenguista.

A equipe carioca teve uma atuação pragmática no Chile. A equipe deu a bola para o adversário e buscou as transições rápidas para incomodar os donos da casa e o resultado deu certo.

No primeiro tempo, em duas escapadas o Fla marcou e poderia ter feito ainda mais. Na segunda etapa, o rubro-negro sofreu um pouco mais, mas conseguiu marcar mais um gol e sacramentar mais uma vitória na Copa Libertadores.

A equipe chilena teve mais posse de bola e incomodou o Flamengo, mas faltou aquele algo a mais. Com a bola, na maior parte do tempo, pareceu sem saber o que fazer no campo de ataque. Quando a equipe avançava, por cruzamentos ou finalizações a média distância, faltava pontaria.

O JOGO

O jogo começou disputado com as equipes se estudando e buscando se impor ofensivamente. Contudo, foi o Flamengo que conseguiu criar perigo pela primeira vez e foi certeiro.

Bruno Henrique recebeu bola na ponta esquerda do ataque e partiu para cima dos adversários. O camisa 27 lançou Gabigol que bateu de perna esquerda, de primeira, para abrir o placar.

O time chileno não se impactou ao sofrer o gol. Precisando da vitória para não se distanciar da zona de classificação do grupo, a Unversidad Católica trocou passes no campo de ataque e buscou o empate.

Orellana recebeu bola dentro da área e achou Zampedri entre os zagueiros do Fla. O atacante dividiu com Isla, que tocou para o fundo das redes.

O gramado do estádio San Carlos de Apoquindo estava bem escorregadio. Por diversas vezes, os jogadores dos dois times escorregaram e perderam a bola.

No lance mais emblemático, Willian Arão tentou cortar um cruzamento rasteiro, mas escorregou. Zampedri teve a bola livre no meio da área e de frente ao gol, mas perdeu a chance.

Flamengo e Católica fizeram um jogo franco ao longo do primeiro tempo. Os anfitriões tentaram dominar um pouco mais das ações ofensivas, mas faltava criatividade. O Flamengo, na ausência da participação de Thiago Maia e João Gomes, buscava mais a ligação direta e os contra-ataques.

Novamente Bruno Henrique avançou pela esquerda, que teve liberdade para invadir a área e cruzar rasteiro para o meio da área. A bola encontrou Gabigol, que marcou pela segunda vez na partida.

O segundo gol rubro-negro esfriou um pouco o jogo. O Flamengo conseguiu se defender melhor, mas em uma chegada, a Unversidad Católica assustou. Orellana serviu Cuevas, que entrou na área e bateu forte, cruzado. A bola passou muito perto do gol defendido por Santos, mas foi para fora.

O Flamengo começou a segunda etapa administrando a vantagem que tinha. A torcida chilena acordou para partida e começou a fazer mais barulho, tentando pilhar a equipe da casa. Contudo, a Católica chegava apenas em cruzamentos. A meta do goleiro Santos foi pouco incomodada.

No contra-ataque, a equipe carioca incomodava muito mais. Em dois lances consecutivos, Bruno Henrique e Gabigol perderam chances de ampliar o placar.

Os lances flamenguistas despertaram a equipe adversária. Fuenzalida, em dois lances diferentes, levou muito perigo ao gol defendido por Santos. O chileno acertou a trave e, na outra finalização, obrigou o brasileiro a fazer excelente defesa.

A pressão continuou incomodando o Flamengo, que tinha dificuldades para manter a bola e, praticamente, não via a bola passar pelo meio-campo. Com isso, a Universidad Católica alugou o campo ofensivo e chegou a ter 70% de posse de bola - apenas no segundo tempo.

Com a proposta de sair no contra-ataque, o Flamengo conseguiu marcar assim o último gol da partida. Após roubar bola no campo de ataque, Marinho carregou a bola e serviu Lázaro. O garoto bateu firme, no ângulo, para dar números finais a partida.

No abafa, a Católica tentou de todas as formas chegar ao gol. Num bate rebate, Buonanote finalizou e a bola desviou em Pablo, matando Santos na jogada e marcando o segundo gol no Chile.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir