Cidadeverde.com
Entretenimento

Kanye West é processado por pastor, que reclama de sample com sermão

Imprimir

Crédito: Zanone Fraissat/Folhapress

Kanye West está sendo processado por um pastor americano após usar o áudio de um de seus sermões no álbum "Donda", lançado no ano passado. Segundo o site americano TMZ, o rapper, também chamado de Ye, usou o áudio sem ter a permissão do sacerdote.

David Paul Moten, pastor do Texas, nos Estados Unidos, acusa West e suas gravadoras –a Universal, a Def Jam Recordings e a G.O.O.D. Music– de usar seu discurso religioso na música "Come To Life". No processo, ele diz que o rapper usou 70 segundos do áudio em uma faixa de 5 minutos e 10 segundos, o que daria mais do que os 20% da duração de uma música que são permitidos pela lei.

O documento do processo, obtido pelo site americano, ainda afirma que West usou a voz de Moten na introdução e em repetição durante a música. E diz que isso é um exemplo de como o rapper e a indústria da música sampleiam "gravações sonoras de outras pessoa sem seu consentimento ou permissão".

"Come to Life" é a 21ª faixa de "Donda", disco que leva o nome da mãe de West, e que aprofunda a temática religiosa na obra do rapper. Este ano, ele lançou uma sequência do álbum, o "Donda 2", mas que pode ser ouvido apenas no Stem Player, um aparelho eletrônico desenvolvido e lançado por West.

Recentemente, West também foi tema de um documentário sobre a sua carreira, lançado na Netflix. Dividido em três partes, "Jeen-Yuhs: Uma Trilogia Kanye" tem direção de Clarence Simmons, amigo do artista de Chicago, mais conhecido como Coodie, que o filmou por mais de 20 anos e só agora tornou o material público.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir