Cidadeverde.com
Esporte

Com Flamengo tumultuado, Sousa tem muito o que contornar em missão de ruptura

Imprimir

A derrota para o Botafogo, neste domingo (8), pelo Campeonato Brasileiro, foi mais um ingrediente num momento turbulento vivido pelo Flamengo e que teve fortes capítulos nos últimos dias.

Foto - Gilvan de Souza - Flamengo

Em meio a este cenário, o técnico Paulo Sousa tenta manter a missão de repaginar o elenco e fazer a equipe engrenar, mas vê contestação ao trabalho ganhar ecos.

Agora, o time carioca precise se preparar para enfrentar o Altos, do Piauí, nesta quarta-feira (11), em jogo de volta pela Copa do Brasil, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ).

O time rubro-negro venceu a partida de ida por 2 a 1, e pode jogar pelo empate para garantir a vaga nas oitavas de final.

No entanto, a conjuntura no Flamengo passa longe da tranquilidade. Durante o duelo no Mané Garrincha, no domingo, já com o resultado negativo no placar, pôde-se ouvir, das arquibancadas, pedidos pelo retorno de Jorge Jesus, "fantasma" que perseguiu os últimos técnicos do clube e ganhou ainda mais força na semana passada, com o próprio Mister externando o desejo em retornar à Gávea.

O início da caminhada de Sousa no Flamengo tem sido de altos e baixos. As derrotas na Supercopa do Brasil e no Campeonato Carioca colocaram o nome dele na mira de críticas da torcida, mas a diretoria demonstrou apoio e confiança. 

O técnico também fez movimentos para tentar aparar arestas que eram nítidas e conseguir uma maior conexão com os comandados, com o objetivo de tornar os próximos passos mais leves.

As mudanças mais drásticas não estavam apenas nas peças em campo, mas também nos treinos, na formação e estratégia de jogo. O treinador tenta quase que construir uma equipe com uma nova cara.

Após as frustrações iniciais em 2022, o clube rubro-negro largou bem na Libertadores e o trabalho indicava dar frutos mais maduros, apesar de ainda distante da solidez esperada. Porém, veio nova oscilação e uma bombástica entrevista de Jorge Jesus.

As declarações não caíram bem, e criaram uma confusão na Gávea, aumentando a pressão externa sobre Paulo Sousa. Apesar do clima, os dirigentes adotaram cautela e ainda não se pronunciaram de forma oficial. Sabe-se, porém, que as afirmações de Jorge Jesus não foram bem digeridas por Marcos Braz, vice-presidente de futebol.

O revés diante do Botafogo, em clássico em que entrou como favorito diante de um elenco que ainda busca um maior entrosamento, pesou e estendeu as dúvidas.

Ao apito final, foi à coletiva e falou pela primeira vez sobre Jorge Jesus. Evitou frases ácidas, mas lembrou Paulo César Carpegiani, técnico do Mundial de 1981, quase que uma forma irônica. Também admitiu que a equipe tem de melhorar em alguns aspectos, mas, principalmente, lembrou ser uma temporada de mudanças.

"Esse é um ano sensível, que há uma ruptura e uma reconstrução de processos. Precisamos dar consistência e acreditar convictamente neles", disse.

Entre dúvidas e convicções, Paulo Sousa vive uma gangorra e busca mais que simples soluções. Com o trabalho de 2019 ainda bastante reluzente na memória dos rubro-negros, o português tenta fazer com que aquele ano seja apenas uma boa lembrança da torcida e fazer 2022, enfim, caminhar.

O número de lesões tem sido outro obstáculo do time carioca nesta temporada. Para a partida desta quarta-feira, um novo desfalque é o lateral-esquerdo Filipe Luís, que deixou o jogo contra o Botafogo ainda no primeiro tempo e teve uma lesão na panturrilha esquerda confirmada nesta terça-feira (10). 

Ele se junta a uma lista que já conta com Santos, Fabrício Bruno, Gustavo Henrique, Vitinho, Marinho e Matheus França. Em compensação, Pedro e Matheuzinho já treinam normalmente com o time, e devem estar à disposição de Paulo Sousa.

Uma provável escalação do Flamengo tem: Hugo Souza; Rodinei, David Luiz, Léo Pereira e Ayrton Lucas; Thiago Maia (Igor Jesus); Daniel Cabral, Diego (Arrascaeta), Éverton Ribeiro e Bruno Henrique e Gabigol.

O Altos, por sua vez, chega à partida em desvantagem, após a derrota por 2 a 1 na partida de ida, e precisa vencer com pelo menos dois gols de diferença para se classificar direto -se vencer com um gol de diferença, a partida será resolvida nos pênaltis. 

O time piauiense viajou ao Rio de Janeiro sem a presença do goleiro Andrey, o zagueiro Del'Amore e o volante Netinho, todos lesionados.

O técnico Francisco Diá deve ter como escalação inicial: Marcelo; Júlio Ferrari, Fábio Aguiar, Lucas Souza e Dieyson; Sousa Tibiri, Marconi e Diego Viana; Eliélton, Betinho e Manoel.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir