Cidadeverde.com
Esporte

Cruzeiro quebra invencibilidade do Criciúma e dispara na liderança da Série B

Imprimir

Com um jogador a mais em boa parte do duelo, o Cruzeiro, depois de muita insistência, quebrou a invencibilidade do Criciúma dentro do estádio Heriberto Hülse, ao vencer por 1 a 0, na noite desta sexta-feira, pela nona rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Foto - Divulgação - Cruzeiro

O gol saiu aos 47 minutos da etapa final, com Jajá. O resultado quebra uma série de 18 jogos que o Criciúma não perdia em casa. É o primeiro revés no Heriberto Hülse na temporada 2022. Já na Série B, o time carvoeiro ficou com dez pontos.

O Cruzeiro, por outro lado, não perde há oito jogos, com um empate e sete vitórias consecutivas. O time celeste é o líder do torneio, com 22 pontos. Vasco (17), Bahia (16) e Sport (15) fecham o G-4.

Líder da Série B, o Cruzeiro não se intimidou com o estádio cheio e foi para cima do Criciúma. Os primeiros minutos foram disputados, com ambas as equipes atacando.

O time carvoeiro apostou muito no talento de Marquinhos Gabriel, que briga com a equipe celeste judicialmente após saída polêmica.

Do lado do Cruzeiro, a aposta é em Edu. O atacante criou boas oportunidades, mas não conseguiu tirar o zero do placar.

A situação do time celeste parecia ficar mais confortável aos 27 minutos, quando Léo Costa deu dura entrada em Jajá e acabou expulso. No entanto, o Criciúma cresceu com um jogador a menos.

Thiago Alagoano recebeu de Marquinhos Gabriel e exigiu grande defesa de Rafael Cabral. No fim, uma polêmica. Após rebote de Rafael Cabral, em arremate do camisa 10, a bola sobrou para Marcelo Hermes, que completou para o gol. 

O VAR, no entanto, viu toque de mão do lateral e anulou o lance, o que gerou muita reclamação por parte da equipe carvoeira.

No segundo tempo, o técnico Paulo Pezzolano surpreendeu ao fazer três substituições na volta do intervalo claramente para poupar os jogadores considerados mais desgastados. Com fôlego novo, o Cruzeiro esboçou um abafa, mas Gustavo fez boas defesas para assegurar o 0 a 0.

Apesar de ter mais posse de bola, o Cruzeiro pareceu perder o gás e pouco fazia para furar o bloqueio do Criciúma, que começou a jogar com todos os jogadores atrás da linha do meio de campo e perdeu poder de criação com a saída de Marquinhos Gabriel.

Nos minutos finais, o jogo caiu de produção, mas o Cruzeiro não desistiu e chegou ao gol aos 47 minutos. Jajá apostou na jogada individual, cortou a marcação e arriscou de fora da área para colocar a bola no fundo das redes.

Na próxima rodada, o Cruzeiro enfrenta o Operário na sexta-feira, às 21h30, no estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa (PR). No dia seguinte, o Criciúma visita o Bahia, às 16h30, na Arena Fonte Nova, em Salvador (BA).

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir