Cidadeverde.com
Política

Presidente do PDT admite traições a Ciro em favor de Lula

Imprimir

Foto: Arquivo/CidadeVerde.com

O presidente do PDT, Carlos Lupi, admitiu haver pré-candidatos do partido nos Estados que vão apoiar Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa ao Palácio do Planalto. "Isso faz parte. Cada candidato quer olhar o eleitor local", disse ele.

O nome do PDT para a eleição presidencial é o do ex-ministro Ciro Gomes, mas Lupi afirmou que não haverá punição aos infiéis. "O Lula, em alguns Estados, principalmente no Nordeste, é muito forte hoje", constatou o presidente do PDT, em entrevista ao Estadão.

Há chance de Ciro conseguir apoios regionais do PSB? O pré-candidato ao governo do Rio Grande do Sul pelo PSB, Beto Albuquerque, disse existir essa possibilidade, embora o partido esteja na aliança do ex-presidente Lula.

Vou até ligar para ele. O Beto, que é meu amigo, quer ser candidato, e lançamos Vieira da Cunha, que também quer. Estamos discutindo com a Ana Amélia (pré-candidata do PSD ao Senado), estamos tentando essa aliança PDT, PSB e PSD. Não afirmo que o Beto vai (apoiar Ciro) porque gaúcho é meio difícil.

E o governador Renato Casagrande, do Espírito Santo (PSB)? Ele até hoje não fechou com Lula e faz acenos a Ciro.

Temos participação no governo e vamos apoiá-lo. E ele tem compromisso com a gente de abrir o palanque para Ciro. Não exclusivo, mas vai abrir.

Na outra ponta, alguns pré-candidatos do PDT elogiam Lula publicamente. Isso não enfraquece a pré-candidatura de Ciro?

Eu também elogio o Lula. Isso faz parte. Cada candidato quer olhar o eleitor local. O Lula, em alguns Estados, principalmente no Nordeste, é muito forte. Isso significa dizer para os caras: ‘Façam suas alianças locais’. Isso é natural.

O PT e o PDT podem romper no Ceará. Isso não prejudica a pré-candidatura de Ciro?

Estamos conversando. Tem uma aliança antiga lá e é bem provável que ela se repita.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir