Cidadeverde.com
Economia

Produtores sofrem com a alta de insumos e Piauí deve ter safra grãos mais cara da história

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidadeverde.com

Seguindo o contexto nacional, a próxima safra de grãos no Piauí deve ser uma das mais caras de toda a série histórica. Em entrevista à TV Cidade Verde nesta terça-feira (31), Alzir Neto, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja) no estado, afirmou que a previsão é de aumento nos custos da produção. 

A previsão leva em conta o avanço do preço de insumos como fertilizantes, defensivos, herbicidas e o combustível. “De fato, teremos uma das produções mais caras do Piauí e do Brasil, em um contexto geral. Temos um cenário das commodities que tiveram uma elevação muito grande no custo”, explicou 

“A moeda do produtor é o saco de soja, é a sua própria produção. Na safra passada, por exemplo, precisávamos em média de 12 sacas de soja para comprar uma tonelada de cloreto de potássio, hoje precisamos em média 45 sacas de soja para comprar uma tonelada de cloreto de potássio”, completou 

Apesar de não prever a redução da área plantada no estado, o presidente da Aprosoja admite que a situação pode reduzir novos investimentos do setor e impactar a produtividade desta safra. “O cenário do sistema de crédito não é favorável, os juros estão mais caros e as operações mais complicadas de girar, então é uma ano extremamente desafiador”, disse.  

Com o aumento dos custos, a produção de grãos pode se tornar menos competitiva em relação a de outros países, como os Estados Unidos, que ampliou sua área plantada de soja. “Nessa mesma época do ano passado o Piauí tinha algo em torno de 12% da safra comercializada, mas para essa não temos nem 5%”, revelou Alzir Neto. 

Breno Moreno  (Com informações do Jornal do Piauí)
[email protected]

Imprimir