Cidadeverde.com
Últimas

Rapaz suspeito de liderar arrombamentos em casas e faculdade é preso dentro de cemitério

Imprimir


Considerado um dos líderes - que realiza arrombamentos em residências no bairro São João e em uma faculdade - foi preso nesta quarta-feira (1). 

Bruno de Sousa, de 25 anos, foi preso suspeito de realizar com um comparsa, identificado como 'Bombril', uma série de arrombamento em uma faculdade particular de Teresina. Bruno estava foragido e se escondia dentro de um cemitério na zona Leste de Teresina.

Segundo o delegado Paulo Gregório, titular do 5º Distrito Policial, o comparsa de Bruno foi morto durante um suposto confronto no sábado (28/05) em frente a uma subestação de energia elétrica no bairro São João, também na zona Leste de Teresina. 

Bruno de Sousa tem outras passagens pela polícia por roubo e furto e estava há dois meses em liberdade com o uso de tornozeleira eletrônica, que tirava quando ia praticar os crimes. 

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com


Delegado Paulo Gregório

“Ele é suspeito dos furtos qualificados que aconteciam no bairro São João. Desde o dia 15 de maio havia vários arrombamentos a residências e a uma faculdade, local onde os elementos roubaram as condensadoras de ar-condicionado da instituição de ensino”, destacou o delegado. 

O 5º DP identificou Bruno como sendo um dos responsáveis pelo arrombamentos que aconteciam no bairro e representou pela prisão preventiva dele. 

“Estávamos realizando diligências a fim de prendê-lo, mas nunca o encontrávamos na sua residência. Aconteceu essa tragédia no sábado, onde a polícia ainda investiga a morte. O comparsa morreu no que pode ter sido uma nova tentativa de arrombamento à faculdade”, frisou o delegado Paulo Gregório. 

Nesta quarta, a Polícia recebeu a informação de que Bruno de Sousa estava escondido dentro do cemitério próximo à faculdade e fez o cerco policial. Bruno foi preso e conduzido ao 5º DP, de onde foi levado ao Instituto de Medicina Legal (IML) e em seguida à Central de Flagrantes de Teresina. 

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com

O material oriundo do furto do preso era vendido para sucatas da região. A Polícia investigará para saber se há envolvimento de algum desses responsáveis pelas sucatas nos arrombamentos que estavam acontecendo na região. 

 

 

Flash Nataniel Lima
[email protected]

Imprimir