Cidadeverde.com
Esporte

Liga das Nações: Hungria domina, vence Inglaterra e derruba tabu de 60 anos

Imprimir

A Hungria conseguiu quebrar duas sequências ao vencer a Inglaterra por 1 a 0 neste sábado (4), pela primeira rodada da Liga das Nações.

O gol de Szoboszlai encerrou uma sequência de invencibilidade que durava 22 jogos e ainda garantiu à seleção húngara sua primeira vitória sobre os ingleses desde o dia 31 de maio de 1962, na Copa do Mundo.

Desde então, as seleções haviam disputado 15 jogos, com 12 vitórias inglesas e três empates. A sequência de invencibilidade de 22 jogos também era a maior da história da Inglaterra, com 18 vitórias e quatro empates, e somente seis gols sofridos durante todo esse período.

Essa foi a partida de estreia das seleções no grupo 3 da Liga das Nações. Alemanha e Itália completam o grupo.

JOGO

Logo aos dois minutos, Pickford fez sua primeira defesa para impedir um gol da Hungria. Sallai arriscou um chute de fora da área e o goleiro teve de defender em dois tempos.

No lance seguinte, Harry Kane respondeu para a Inglaterra: recebeu pela esquerda, entrou na área e bateu forte, mas para fora.

A Hungria se impôs mais e, aos 11, pegou a zaga inglesa desprevenida. Após um cruzamento de primeira, Pickford saiu mal e Szoboszlai apareceu para desviar, sem força, e Coady conseguiu salvá-la em cima da linha do gol.

Aos 29, Zsolt Nagy recebeu na esquerda e chutou cruzado, obrigando Pickford a fazer uma nova defesa.

O grande lance, porém, veio aos 31. A Hungria havia apertado a marcação e Szalai recebeu a bola no meio de campo. Ele viu que o goleiro Pickford estava adiantado e mandou a bomba por cima. A bola pareceu que ia entrar, mas saiu ao lado do gol.

Aos cinco minutos, a Hungria continuou em cima: Nagy pegou uma sobra de bola na entrada da grande área e soltou o pé. A bola passou ao lado do gol defendido por Pickford.

No lance seguinte, a Inglaterra respondeu com Saka, que saiu driblando pelo lado esquerdo do ataque, até ter seu chute defendido por Gulácsi.

Aos 18 minutos do segundo tempo, Nagy foi lançado dentro da grande área, pelo lado esquerdo, e Reece James tomou a frente da jogada.

Ele, porém, errou o domínio da bola e Nagy retomou o controle da jogada. O lateral-direito da Inglaterra puxou o adversário para o desarme e a arbitragem assinalou o pênalti.

Szoboszlai pegou a bola e foi para a cobrança de pênalti. Pickford até caiu no canto certo, à sua direita, mas não conseguiu alcançar a bola, que morreu no fundo da rede.

Atrás no placar, os ingleses foram para cima para tentar o empate. Aos 26, Bowen foi lançado na pequena área pelo lado direito e já chegou mandando o chute. A bola foi em cima de Gulácsi, que encaixou sem sustos.

No lance seguinte, Saka escapou em velocidade pelo lado direito e cruzou. A bola desviou na zaga da Hungria e Bellingham ficou com a sobra; ele bateu forte, em cima da marcação, e Gulácsi ficou com a sobra.

Aos 31, o drama continuou. Após cobrança de falta de Reece James, Coady conseguiu cabecear a bola praticamente sozinho, sem muito esforço, e a bola passou rente à trave do gol húngaro.

Quatro minutos depois, no entanto, a grande chance veio para a Hungria. A seleção chegou forte pela direita com Kleinheisler, que puxou para o meio e bateu colocado. Pickford conseguiu fazer a defesa, mas a bola sobrou para Schäfer, livre, com o gol aberto, mas ele mandou para fora.

Kane ainda teve uma chance numa sobra de bola aos 44. Ele tentou dar um passe para Grealish, a bola foi interceptada no caminho e voltou para o atacante, que emendou um chutaço. A bola passou por cima do gol de Gulácsi, que não teria condições de fazer a defesa.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir