Cidadeverde.com
Picos

Estudantes do IFPI realizam manifestação contra cortes no orçamento das instituições federais

Imprimir

Foto: Julia Borges/TV Cidade Verde

Na manhã desta quinta-feira (09) estudantes do Instituto Federal do Piauí (IFPI), Campus de Picos, realizaram uma manifestação contra cortes no orçamento das instituições federais. O ato unificado foi iniciado na Praça Félix Pacheco e percorreu o centro da cidade. 

Os alunos munidos de cartazes reivindicam o direito constitucional a uma educação de qualidade.

A organizadora da manifestação, Kesia Pereira, destacou que o corte no orçamento do IFPI já chega a 44,76%.

“É uma parceria com movimentos estudantis de outros estados do Brasil. Essa marcha foi marcada nacionalmente porque a área da Educação é uma que mais sofre com a questão de cortes no Governo Bolsonaro. Já são 44,76% a menos com o orçamento. Isso é preocupante porque muitas instituições podem fechar, especialmente para os estudantes que buscam melhorar de vida”, disse Kesia Pereira.

Estudante Kesia Pereira

A estudante do IFPI, Augusta Nobre, lamentou o pagamento de impostos que não revertidos na Educação.

“Isso é um retrocesso pra gente porque é um direito garantido por Lei, pela Constituição de 1988 que concede o Direito à Educação. Nossos pais, a sociedade pagam impostos que deveriam ser refletidos na nossa vida. Eu sei que o país está em crise, mas a Educação é super importante”, frisou Augusta Nobre.

Após dois anos de pandemia com ensino remoto, a estudante Jaqueline Rocha ressalta que a comunidade do IFPI agora convive com a escassez de recursos.

“Estamos reivindicando o nosso direito a ter uma educação de qualidade. Saímos de dois anos de pandemia com ensino remoto e assim como eu sonhava entrar no Instituto Federal. Nos preparamos e passamos para ter uma educação de qualidade e estamos entrando no Campus que diante dos cortes estamos tendo prejuízos”, pontuou a estudante.

A manifestação realizada pelos estudantes em Picos é um ato que também está acontecendo em vários Estados do Brasil.

Paula Monize
[email protected]

Imprimir