Cidadeverde.com
Geral

Motoristas dizem que passageiros se recusam a usar máscara e cobram medidas mais rígidas

Imprimir

Foto: Arquivo Cidade Verde

Motoristas e cobradores de ônibus de Teresina estão temerosos em relação à Covid-19  e cobram protocolos mais rígidos da Prefeitura de Teresina para o transporte público da capital. O presidente do Sintetro, Antônio Cardoso, afirmou neste sábado (26) que parte da população tem se recusado a adentrar os veículos usando a máscara. 

“O passageiro vem de máscara e chega à entrada do ônibus e tira a máscara. É totalmente ao contrário do que deveria ser. Não está mais sendo como era antes. Achamos que o decreto deveria ser mais rígido”, defendeu Antônio Cardoso. 

O presidente do Sintetro relatou que os motoristas e cobradores chegam a solicitar que o usuário do serviço coloque o acessório, que é uma medida sanitária contra o coronavírus. Ele ainda acrescentou que houve um caso no qual o passageiro ameaçou chamar a polícia ao receber o pedido para usar a máscara. 

Antônio Cardoso ainda revelou que, se por um lado, o diálogo com a população tem sido difícil, por outro lado também existe uma parcela dos trabalhadores do sistema de transporte coletivo que se recusa a tomar as doses da vacina contra a Covid-19. 

“Eles dizem que não tomam de jeito nenhum”, afirmou. 

MOTORISTAS TESTAM POSITIVO 

Pelo menos três motoristas da capital testaram positivo para a Covid-19 na última semana. O presidente do Sintetro relatou que a categoria teme um surto e cobrará protocolos mais rígidos.

Antônio Cardoso destacou que vai solicitar à Prefeitura de Teresina que torne obrigatório o uso de máscara dentro dos ônibus de forma que a medida seja cumprida a rigor. Ou seja, dar ao motorista a possibilidade de não deixar entrar no veículo o passageiro que se negue a usar o acessório. 

A categoria também que quer o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) afixe cartazes, informando aos passageiros a necessidade da medida sanitária. 

Outra solicitação do sindicato é que as empresas tornem obrigatória a apresentação do cartão de vacina para os trabalhadores do sistema. 

 

 

 


Paula Sampaio
[email protected]

Imprimir