Cidadeverde.com
Esporte

Hulk perde pênalti e Atlético-MG só empata no Equador pela Libertadores

Imprimir

Pênalti perdido no final, jogador expulso e VAR acionado para marcar penalidade a favor dos donos da casa. O empate por 1 a 1 nesta terça-feira, entre Atlético-MG e Emelec teve todos esses ingredientes em partida que valeu pelo primeiro jogo das oitavas de final da Copa Libertadores.

Foto: Pedro Souza / Atlético-MG

No duelo, o time mineiro saiu na frente com gol de Ademir e teve tudo para definir o jogo na etapa inicial. No segundo tempo, Sebastian Rodríguez empatou cobrando pênalti.

A partida de volta pela fase de oitavas acontece na próxima terça-feira (5 de julho), em Belo Horizonte, e o Atlético-MG se garante nas quartas com vitória simples. Novo empate leva a decisão para os pênaltis.

O jogo teve contornos de dramaticidade. A expulsão de Allan deixou o Atlético-MG com um menos no segundo tempo e no final, Hulk desperdiçou uma penalidade.

Em Guayaquil, o Emelec quis botar pressão e quase abriu o marcador graças a um erro de saída de bola do goleiro Everson. Cevallos Júnior serviu o atacante Cabeza, mas o camisa nove errou o chute no momento da conclusão.

Passado o susto, o Atlético-MG encaixou a marcação e conseguiu administrar a partida para explorar os contra-ataques com Ademir Com uma atuação mais segura, o time brasileiro acabou achando o gol em uma jogada característica.

Everson repôs a bola no meio-campo e encontrou Hulk, que fez o pivô para Nacho Fernández. O jogador argentino percebeu a infiltração de Ademir e tocou na medida para ele bater de esquerda e vencer o goleiro Pedro Ortiz: 1 a 0 aos 15 minutos.

O Emelec se lançou ao ataque, mas de forma desordenada passou a dar espaços para as investidas atleticanas. Com Hulk sofrendo marcação individual, Nacho Fernández, Rubens e Ademir tiveram boas chances de ampliar o marcador no primeiro tempo.

Os donos da casa só chegaram a ameaçar a meta de Everson no final. Na melhor oportunidade, Jackson Rodríguez entrou pela esquerda da e bateu cruzado. A bola bateu na trave, voltou para o meio da área, mas a defesa brasileira conseguiu afastar o perigo.

O segundo tempo teve um enredo parecido com a etapa inicial. Pressão do Emelec e atuação segura do Atlético-MG em seu campo de defesa.

O jogo estava sob controle quando, num lance isolado, Nathan Silva subiu para cortar uma bola alçada na área e atingiu o centroavante Cabeza com uma cotovelada. O lance seguiu, o Atlético-MG perdeu uma chance incrível com Ademir na sequência, mas o VAR entrou em ação e mudou os rumos da partida.

O árbitro de vídeo analisou o lance do zagueiro Nathan Silva, acionou o juiz e o pênalti foi assinalado. Sebastián Rodríguez bateu firme, pelo alto, e decretou o empate aos 11 minutos do segundo tempo.

Os equatorianos passaram a catimbar o jogo e o Atlético-MG pagou caro pela falta de experiência do volante Allan. Ele levou uma peitada de Jackson Rodríguez e revidou com uma cotovelada. 

O árbitro Fernando Rapallini viu o lance no monitor e usou dois pesos em sua decisão. Deu amarelo para o atleta equatoriano e expulsou o jogador brasileiro.

Com um homem a menos, o Atlético-MG se fechou de vez. Nesse momento de pressão, dois jogadores do time brasileiro se destacaram. Everson, que pegou tudo lá atrás, e Hulk, que segurou a defesa rival sozinho na frente.

No final do jogo, o astro atleticano teve tudo para sair do Equador como herói. Ele sofreu pênalti aos 40 minutos após ser puxado dentro da área. Depois de muita catimba, Hulk foi para a cobrança, mas Pedro Ortiz foi bem no lance e fez a defesa.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir