Cidadeverde.com
Geral

Registro de armas no Piauí cresceu 156% nos últimos quatro anos, revela anuário

Imprimir
Foto: Reprodução/CCom-PI
 
O número de armas de fogo no Piauí com registros ativos no Sistema Nacional de Armas (Sinarm) cresceu cerca de 156% entre os anos de 2017 e 2021, é o que revela o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2022 divulgado na última terça-feira (28). 
 
O Sinarm, gerenciado pela Polícia Federal (PF), é responsável pelo controle de armas de fogo em poder da população. Entre os critérios adotados pela plataforma, o requerente deve apresentar uma série de documentos e atender às exigências previstas na legislação. 
 
De acordo com o estudo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), as 5.390 armas de fogo que estavam registradas em 2017 saltaram para um total de 13.801 em 2021. Só nos últimos três anos o aumento de novos registros foi de 140% . 
 
Vale ressaltar que este quantitativo não leva em conta os 5.804 armas no Piauí com registros ativos no Sistema de Gerenciamento Militar de Armas (Sigma), banco de dados responsável por manter atualizado o cadastro desses equipamentos pelo Exército Brasileiro.
 
Dentre as categorias, o cidadão é quem mais possui registros ativos no sistema da PF, 5.769 no total. Em seguida estão empresas de segurança privada (3.502), órgãos públicos sem taxa (2.400) e servidores públicos com porte por prerrogativa de função (1.099).
 
O que chama atenção nesse levantamento é que desse total de armas contabilizadas no Sinarm, 12.763 estavam com o  registro expirado até o dia 31 de dezembro de 2021, ou seja, a situação de quase 93% era de irregularidade. 
 
O Anuário é realizado pelo Fòrum Brasileiro de Segurança Pública com base em informações fornecidas pelas secretarias de segurança pública estaduais, pelas polícias civis, militares e federal, entre outras fontes oficiais da Segurança Pública. 
 
Breno Moreno
Imprimir