Cidadeverde.com
Cidades

Samu Aéreo faz milésimo voo no Piauí e transporta idosa de 65 anos

Imprimir

Criado em 2013, o serviço do SAMU Aéreo do Piauí realizou seu milésimo voo na tarde desta sexta-feira (01). Na viagem de número 1.000, a equipe transportou uma paciente de 65 anos que estava internada no Hospital Regional Senador Cândido Ferraz, em São Raimundo, para o Hospital da Polícia Militar, em Teresina. 

“Para o nosso estado é um serviço muito importante, pois temos distâncias consideráveis. Esta paciente, por exemplo, chegou em 1h30 e já foi levada para o hospital. Se ela viesse de ambulância, levaria pelo menos seis horas. O diferencial do transporte aéreo é a qualidade do atendimento e a rapidez”, explicou Christianne Rocha, coordenadora do SAMU no estado.

Segundo a Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi), o serviço aéreo conseguiu salvar cerca de 99% das vítimas atendidas ao longo dos sete anos de funcionamento. Dentre os casos atendidos pelo SAMU Aéreo estão vítimas de acidentes de trânsito, problemas cardíacos, gestantes de alto risco e recém nascidos. 

Fotos: Renato Andrade/Cidadeverde.com

“O atendimento móvel de urgência tem permitido salvar muitas vidas, dada a rapidez do deslocamento das equipes, garantindo o socorro adequado nos hospitais de referência em média e alta complexidade da capital. Este milésimo voo é algo muito importante na saúde do Piauí”, afirmou Neris Júnior, secretário estadual de Sesapi.

Apesar do principal destino dos pacientes ser Teresina, considerada a cidade base das operações do serviço, há ocasiões em que também ocorrem o translado entre municípios com pistas de pouso homologadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e que possuem hospitais regionais, como é o caso de Bom Jesus, Parnaíba, Picos e São Raimundo Nonato.

O serviço, 100% custeado pelo Serviço Único de Saúde (SUS), só é disponibilizado para pacientes internados em hospitais regionais após um parecer médico constatando e justificando a necessidade de transporte para uma outra unidade melhor equipada. Além disso, o voo só acontece quando já há uma vaga hospitalar garantida na cidade destino.  

Christianne Rocha pontuou que o SAMU Aéreo tem capacidade para realizar até dois voos por dia, que só ocorrem quando há demanda, condições climáticas e de funcionamento dos locais de pouso. “Temos aeródromos que não são iluminados, então dificulta muito a realização do transporte de noite, por exemplo”, disse. 

A aeronave é equipada com desfibrilador automático, oxímetro de pulso, equipamentos de imobilização, colares cervicais, além de cardioversor, ventilador mecânico com monitor cardíaco, bomba de infusão, Sonar (para detecção dos batimentos cardiofetais) e incubadora de transporte.

Além disso, o avião está configurado para atendimentos de UTI, com kits completos aeromédicos, e adaptadas para o transporte de pacientes com as mais variadas condições clínicas. O serviço funciona com dois médicos e dois enfermeiros durante o dia, além da equipe de plantão e uma ambulância em terra.

Breno Moreno
[email protected]

Imprimir