Cidadeverde.com
Entretenimento

Lázaro Ramos diz acumular convites para virar político: 'Queria ser presidente'

Imprimir

Andy Santana / AgNews

Lázaro Ramos afirmou nesta segunda-feira que acumula convites para se candidatar a cargos políticos em conversa com os visitantes da Bienal do Livro de São Paulo nesta segunda-feira.

A afirmação veio em resposta à pergunta de uma das participantes do evento, que assistia ao bate-papo da plateia, de acordo com relato publicado pelo site UOL.

"Será, gente? Convite tem muito, mas... Não sei! Eu queria ser presidente do Brasil. Eu queria", afirmou. "Já pensou Taís [Araújo] de primeira-dama? Pô, tô benzão."

Além de atuar e dirigir, Lázaro Ramos também escreve livros infantis, como "Edith e a Velha Sentada", "O Pulo do Coelho" e "Caderno Sem Rimas da Maria". Na Bienal do Livro, ele afirmou acreditar no potencial da literatura para transformar o mundo e se posicionou contra o presidente Jair Bolsonaro.

"A gente escreve para criança. Para as crianças já irem botando na cabeça o 'fora, Bolsonaro'", afirmou. "Para reconstruir este país, primeiro tem que trocar de presidente. A gente está vindo de um período onde tem uma celebração da ignorância, uma desvalorização da educação, da figura dos professores, do poder e da importância dos livros, inclusive taxando mais os livros e liberando armas. É preciso falar disso."

A Bienal do Livro, que abriu as portas no último sábado se colando no TikTok para dobrar a aposta nos jovens, continua até o próximo domingo com figuras como Xuxa e Matilde Campilho.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir