Cidadeverde.com
Esporte

Fortaleza vacila na bola aérea do Estudiantes e é eliminado da Libertadores

Imprimir

O Fortaleza não deu conta de segurar a bola aérea do Estudiantes e foi derrotado por 3 a 0 no estádio Jorge Luis Hirschi, na Argentina, nesta quinta-feira (7) e deu adeus à Libertadores, no jogo de volta das oitavas de final da competição. 

Foto - Twitter Fortaleza Esporte Clube

Manuel Castro duas vezes e Zapiola marcaram os gols da classificação argentina.

Enquanto o Fortaleza se despede da competição, o Estudiantes aguarda definição de data e horário pela Conmebol para enfrentar o Athletico-PR pelas quartas de final. A equipe brasileira se classificou ao vencer o Libertad pelo agregado de 3 a 1.

O jogo começou movimentado, mas logo o Estudiantes assumiu o controle e marcou aos oito minutos do primeiro tempo, com Manuel Castro. Na volta para a segunda etapa, o meia marcou novamente com apenas um minuto. Aos 11, Zapiola ampliou o marcador e encerrou o placar.

Yago Pikachu foi expulso em apenas 21 minutos de jogo no que pode ter sido sua última partida pelo Fortaeza. Desde o início da semana, rumores de que o ala-direito pode ir para o Shimizu S-Pulse, do Japão, nos próximos dias ganharam força e o futuro do jogador ainda não foi definido.

Dono absoluto do jogo, o Estudiantes teve maior posse de bola, fez quatro gols, mas um não valeu e mesmo assim não foi possível ver tentativa de reação do Fortaleza. 

Com a bola aérea lançada dentro da área, conseguiu encontrar espaços mesmo entre os quatro defensores e dominou as chances da partida.

O time nordestino não se encontrou em campo. Ao longo dos 90 minutos apresentou falhas na defesa, não teve articulação em campo para tocar a bola na zona intermediária e apresentou um ataque quase inexistente, que finalizou uma única vez em um intervalo de 45 minutos, com Moisés, para fora. 

No segundo tempo, a equipe cearense jogou a toalha ao sofrer o segundo gol em apenas um minuto de jogo mudou de postura, para tentar reagir no contra-ataque, mas de pouco adiantou.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir