Cidadeverde.com
Últimas

SP: incêndio de grandes proporções atinge imóveis na região da rua 25 de Março

Imprimir

 

 

Dezenas de bombeiros combatem um incêndio de grandes proporções desde as 21h deste domingo (10) em prédios comerciais na rua Barão de Duprat, na região da rua 25 de Março –centro popular e comercial da capital paulista.

No início da ocorrência, trinta viaturas foram deslocadas para apagar as chamas. Dois bombeiros sofreram queimaduras de segundo grau e foram atendidos no pronto-socorro do Tatuapé.

O fogo já destruiu uma loja e consome os dez andares de um prédio. Desde a madrugada a fumaça preta provocada pelo incêndio é vista a quilômetros de distância e chama a atenção de moradores da região central e até da avenida Paulista. Várias pessoas publicaram vídeos, fotos e relatos nas redes sociais.

No início da manhã as chamas ainda persistiam e, segundo os bombeiros, havia o risco de o fogo espalhar para outros imóveis –quatro deles foram atingidos.

A corporação monitora também o risco de desabamento do edifício.

Entre os imóveis atingidos, havia uma igreja embaixo que teve desabamento parcial, segundo os bombeiros. Uma loja e um prédio comercial de cinco andares também foram tomados pelas chamas.

Segundo a SPTrans, o incêndio afetou a circulação dos ônibus noturnos na região e linhas precisaram ser desviadas. Na manhã desta segunda (11) seis linhas que trafegam na região central estão sendo desviadas.

Há bloqueios para o trânsito na rua Cavalheiro Basílio Jafet, acesso à rua 25 de Março; rua da Cantareira com avenida Senador Queiroz; rua Barão de Duprat com as ruas da Cantareira, Afonso Kherlakian, Assad Abdalla e Carlos de Souza de Nazaré; e avenida Prestes Maia com a rua Carlos de Souza Nazaré.

Também na noite de domingo os bombeiros combateram um incêndio em prédio comercial no cruzamento da rua Huert Bacelar com a travessa do Orfanato, no Ipiranga. Nove viaturas foram para o local. O fogo foi extinto às 2h30.

Em dezembro de 2018, um incêndio consumiu um prédio comercial de três andares no centro de São Paulo. Não houve vítimas. Naquela ocasião, o fogo destruiu uma loja de tecidos na esquina das ruas Jorge Azem e Cavalheiro Basílio Jafet, também na região da rua 25 de Março.

Há um mês, um incêndio atingiu apartamento no sexto andar de prédio residencial no número 400 da avenida 9 de Julho, na Bela Vista, também na região central de São Paulo. O fogo provocou gritaria e buzinaço na região.

O centro de São Paulo já foi cenário de incêndios históricos. No dia 1ª de fevereiro de 1974, um incêndio no edifício Joelma matou 188 pessoas, no que foi uma das piores tragédias da cidade.

Outro caso famoso, no edifício Andraus, na avenida São João, completou 50 anos em fevereiro. Dezesseis pessoas morreram e mais de 300 ficaram feridas na tragédia que é precursora das primeiras normas de segurança contra incêndios no estado, que entraram em vigor em 1983.

Em 2018, o edifício Wilton Paes de Almeida, no largo do Paissandu, foi engolido pelo fogo e desabou na madrugada do dia 1º de maio. O prédio, antiga sede da Polícia Federal, tinha 24 andares e era ocupado por famílias sem-teto. A tragédia provocou a morte de sete pessoas e o desaparecimento de duas.

 

Fonte: Folhapress (Cristina Camargo)

Imprimir